Privacidade no Ubuntu

A maior problemática que o mundo Ubuntu tem sofrido recentemente é a questão da privacidade. Alguns usuários do sistema laranja já demonstraram descontentamento com os rumos que a Canonical tem tomado para o Unity na nova geração, agora conhecida como Unity Next. A ideia “canonicalista” é clara: o usuário realizar diversas tarefas no próprio ambiente de trabalho ao invés do navegador. Quer comprar uma música na Amazon? Digite o nome dela no Unity. Ouvir uma rádio virtual? O mesmo. Procurar tuítes, postagem rss, posts do Facebook ou arquivos do Google Drive? “Joga” no Unity.

Resultados do Youtube no UnityÉ uma ideia muito interessante e que tem a ver com o ideal da Canonical: Linux para seres humanos. Ao criar o HUD ou a busca integrada no próprio ambiente de trabalho, o Ubuntu fica cada vez mais prático para os usuários que não são programadores ou entusiastas de interfaces quadradas provenientes do século retrasado. Toda a preocupação do Ubuntu é ser um sistema fácil que seja simples de ser utilizado por qualquer tipo de usuário e que este sistema tenha tudo o que o usuário precise. Amazons, ebays, tudo.

E o que tem isso de errado? Nada. Mesmo. A ideia é ótima. O conceito? Idem. O problema é a execução. A Canonical enviará para um servidor próprio tudo o que for digitado no launcher do Unity. Tudo. Ali, as informações serão processadas e direcionadas: se for uma pesquisa do Facebook, os dados dali vão para o Facebook, por exemplo. A Canonical promete que guardará apenas o IP e o país de origem da pesquisa junto com o que for pesquisado. Mas isso não deixa de ser contra a privacidade do usuário.

Depois de tantas reclamações, Michael Hall, da Canonical, fez um post em seu blog e disse que existiam diversas distribuições e os usuários infelizes com o rumo “next” do Ubuntu, poderiam migrar para outras distribuições. O Ubuntu é linux para seres humanos — e o ser humano de hoje quer praticidade. Veja o Google Now, no Android, o Facebook Home e o próprio Ubuntu Touch, com informações na tela e de compra de conteúdos de forma fácil.

ElementaryOS com o leitor de emails abertoBem radical a opinião dele, certo? Mas não está de toda errada. Se o usuário linux está descontente com o Ubuntu, o Linux Mint ou o elementaryOS receberão este usuário de braços abertos. Aliás, as próprias versões alternativas do Ubuntu (Ubuntu GNOME, Kubuntu, Xubuntu e Lubuntu) farão o mesmo. Ou melhor ainda: desabilite os pacotes de pesquisas online ou até mesmo o recurso de deixar o Unity utilizar a sua rede. Pronto. Pode continuar a utilizar o Unity perdendo a sua maior funcionalidade: a integração web + desktop.

Apesar de tudo, a coleta dos dados é feita de forma completamente limpa no Ubuntu. Por ser totalmente open source, isto é, de código aberto, os usuários poderão verificar como estas capturas são feitas. O mesmo não acontece com o Google Chrome, por exemplo, que pode fazer este mesmo tipo de serviço de forma oculta, visto que o código é fechado.

Mas chegamos a uma conclusão. Se você não utiliza nenhum destes recursos ou quer que a Canonical não colete nenhum dado seu, simplesmente mude de distribuição. Sim. Eu estou dizendo que se você está incomodado com sua privacidade no Ubuntu, mude de distribuição ou então remova essas pesquisas sempre que instala o Ubuntu. E não estou defendendo a Canonical. O que eu estou dizendo é que eles não vão mudar o rumo do sistema operacional deles. É muito barulho por nada.

O poder ainda está na mão do usuário. Só basta ele parar de reclamar do Ubuntu 13.04 usando-o com todas as lentes de empresas habilitadas — por pura preguiça de retirar do sistema o que lhe incomoda. Aí, então, quem sabe uma mudança de verdade?

59 Respostas ate agora.

  1. maluam_pinto diz:

    Não foi a Canonical a "grande" responssável pelo crescimento do Linux, teve muita gente pelo mundo a fora que ajudou. O grande diferencial do sistema sempre foi a segurança, e a privadidade está no contesto, por isso, acho que se esta distribuição for por este caminho, irá perder espaço para outras que ainda estão mantendo a filosofia da segurança e privacidade. Eu já migrei para o mint e estou muito satisfeito, espero que isso não vire um padrão daqui por diante e sempre possamos contar com um sistema seguro e confiável.

  2. SamGyn diz:

    O Linux Mint está crescendo muito com usuários satisfeitos defendendo a distribuição com unhas e dentes.

    Eu uso e recomendo o Linux Mint, sugiro inclusive ao Claudio Novaes a criação de um novo site para agregar esses usuários assim como temos u Ubuntued para enriquecer nossa experiência com o Ubuntu seria interessante um Minted para o mesmo propósito com o mint, seria maravilhoso um site especializado em Linux Mint com a mesma qualidade do Ubuntued e pertencendo a mesma "grife" rsrsrs.

  3. Nilton diz:

    O Ubuntu é software livre, portanto o que não gostamos é só modificarmos/retirarmos, simples assim! É exatamente esse o ponto mais forte do software livre, o poder total sobre o software! Eu mesmo não curto as lentes invasivas do unity, logo assim que instalo eu removo tudo! E modéstia parte estou mais do que satisfeito com o 13.04, que em comparação com as versões anteriores está se mostrando bastante eficiente em notebooks optmus( duas placas de video).

  4. Alberto diz:

    Eu era usuário do Xubuntu mas usava de vez enquanto o Ubuntu para ver como anda o Unity. Não gostei do rumo em que a Canonical está tomando em relação ao Ubuntu. Elogiei o conceito Unity no começo mas agora nem tanto, a questão de privacidade vai afetar sim e muito a comunidade do Ubuntu tanto para usuários leigos quanto avançados. No começo os usuários leigos podem até não saber que o que eles digitam no Unity vai ser mandado para uma central mas quando souberam que eles não tem "privacidade" em relação ao que digita garanto que não vão ficar satisfeito. Eu penso em relação a Canonical o seguinte, que ela dá um passo em relação ao futuro e depois de um tempo volta dois passos.

  5. marcos diz:

    Cara seu blog é mto show, bom,eu sou usuário do fedora, já era usuário linux desde o conectiva,com a queda do mandriva desde 2011,testei varias distros,axei legal o ubuntu 11.1 com unity e tudo mais, larguei ele pq axei meio fraquinho comparado com slack, ou seu pai o Debian e o fedora q é o sistema q estou usando agora… tipo assim a ideia de linux pra todos é boa, axo q seria uma ideia q deveria ser abraçada por todos, mas claro sem esquecer o principal foco do linux,segurança, estabilidade,axo q como vc disse a maneira como será feita a execução não foi das melhores escolhas, afinal os dados pelo q eu entendi vão do ubuntu pra um servidor e do servidor para face entre outros etc… bom mta coisa pode acontecer no meio do caminho, isto é fato. É triste alguem dizer pra um usuário algo como se vc não tá feliz mude pra outra distro, pq os usuários do ubuntu q dão vida a distro, exemplo tem tantas distribuições e projetos por ae q por falta de atenção das pessoas por elas se prederem ao ubuntu q não vão p/ frente, axo q estas palavras vão pesar pro pessoal do ubuntu de forma negativa. Bom axo q esta questão tb me lembra qdo unity foi lançando,mta gente odiou… e o unity é legal, quem sabe,as vezes seja a mesma coisa…agora mta gente vai assustar,quem sabe até odiar, mas depois q sair e todo mundo usar ae sim os usuários do ubuntu vão poder ter uma opinião formada. Bom parabens pelo blog é excelente e mto completo.

  6. rayffe diz:

    Não me importo muito com isso,

  7. eu diz:

    O correto seria essa porcaria de recurso espião ficar desabilitado (ou desmarcado) como padrão, e não o contrário (instala essa porcaria quem quiser… de preferência ter que compilar para tal).
    Tem que ficar de modo que um leigo, clicando em Next, Next, não tenha essa aberração instalada… simples, simples.
    Vocês acham que é a mesma coisa?! Não é mesmo!! A diferença é enorme.
    Cansei de tentar fazer alienado pensar diferente. O Brasil é essa bosta por causa de gente assim.

    A confiança na Canonical foi abalada.

    Viva longa para quem já mudou de Distribuição.

    • Douglas diz:

      Discordo,

      Eu utilizo vários recursos do Unity e é uma maravilha não ter que ficar configurando. Usuário final não quer milhões de configurações para ter o que ele precisa, queremos ligar e usar.

      Parabéns a Canonical pelo avanço do Unity.

  8. eu diz:

    O correto seria essa porcaria de recurso espião ficar desabilitado (ou desmarcado) como padrão, e não o contrário (liga essa porcaria quem quiser). Tem que ficar de modo que um leigo, clicando em Next, Next, não tenha essa aberração instalada… simples, simples.
    Vocês acham que é a mesma coisa?! Não é mesmo!! A diferença é enorme.
    Cansei de tentar fazer alienado pensar diferente. O Brasil é essa bosta por causa de gente assim.

    A confiança na Canonical foi abalada.

    Viva longa para quem enxerga a verdade!!!

  9. Alexandre diz:

    Iniciantes que tomam proveito da pesquisa integrada são justamente os usuários que têm dificuldade para desabilitar serviços ou trocar de sistema operacional.
    É importantíssimo que a opção de pesquisas (mesmo que default) seja explicitamente avisada e que a opção de desabilitar seja dada também de forma explícita e junto ao aviso de que os dados serão compartilhados.

  10. leandrotoledodesouza diz:

    Eu sou ser humano e quero privacidade sim.
    Não uso mais Ubuntu, e recomento Mint para quem quer iniciar a se aventurar em GNU/Linux.

  11. João diz:

    Rapaz, parabéns pelo post, uma matéria interessante e muito bem redigida. Bem, creio que haja um certo exagero sobre essa questão de "Privacidade vs. Unity". Ora, se estivermos nos sentindo "espionados" não seria o caso de simplesmente desativarmos esses recursos seguindo as dicas dadas em vários sites?! Porém, eu mesmo acredito que essa privacidade seja algo bobo, porque se eu pesquiso sobre coisas como músicas das bandas "a", "b", "c", sobre livros do tipo "tal" e "tal", ou seja la o que for, qual o problema de o sistema "reconhecer" meus interesses e passar a me oferecer "produtos" com base no que eu mesmo pesquiso? Isso é uma intromissão? é uma invasão de privacidade? Sim… é sim. Porém, o quão invasivo isso realmente é?! Sinceramente, mim essa postura da Canonical não incomoda não. Agora quanto a postura do MIchael Hall… bem, convenhamos, o sistema é deles, agir assim é uma pena, porém, são eles que mandam, são eles que decidem o que de fato será do Ubuntu. E que tal migrar? Temos boas propostas, o Mint e o Elementary são as mais latentes. Aí amigo fica a critério de vocês porque eu as usei como distribuições principais e achei muito, mais muito ruins mesmo. Não sei, tô meio viciado no Ubuntu, não consigo ver absolutamente nada que faça uma outra dristro interessante, boa, leve, simples etc etc se comparado ao Ubuntu. Enfim… caramba, que comentário grande… ! Pois tudo de bom à todos vocês e de um modo geral… "viva o Linux"!

  12. smoke diz:

    Ótimo post. Mas a Canonical teve uma postura bem radical. É só lembrar que quem fez do Ubuntu o que ele é hoje foram os usuários. Bater a porta na cara deles dizendo "se quiser mudem de distro…" é, além de uma tremenda burrice e falta de diplomacia, um tiro no pé. Para alguns o comportamento do Unity pode ser prático, mas para quem tem mais o que fazer do que ficar 24 horas no twitter ou no facebook, realmente a funcionalidade é uma invasão. O que todas as grandes empresas querem é monitorar os usuários em tempo integral para lucrar com os dados coletados, direta ou indiretamente, prática bem conhecida pelo Google, porque no fundo, no fundo, todo mundo quer ser como o Google e faturar como ele.
    Aos colegas usuários um conselho: mudem de distro. Mostrem a Canonical nosso poder.

    • Alejandro diz:

      Acho que misturam-se algumas questôes. Os usuários não fazem o Ubuntu, são os desenvolvedores que fazem. Os usuários legitimam uma distro por escolhê-la. O Ubuntu tem sua legitimidade na grande quantidade de usuários que a escolhem todo dia. Privacidade é uma questão subjetiva, não é a mesma coisa para todo mundo. Assim como o Ubuntu não é um sistema orientado aos usuários mais avanzados, su a política de privacidade também não é para os mais puristas. Mas convengamos que 90% dos usuários de computadores não são puristas nesse quesito. Que futuro tem uma distro orientada para o 10% (tal vez menos) dos usuários? Que futuro tem uma empresa que não pode pensar na maioria e tem que conformar a uma minoria que é a que tem mais visibilidade nas redes sociais?

      • Cláudio Novais diz:

        Você disse muitas verdades Alejandro! Efetivamente será que a Canonical se deve preocupar com a minoria que são os utilizadores mais avançados que por sinal normalmente se preocupam com estas coisas? Bom, de certa forma, claro que sim, para um bem comum. Mas a verdade é que neste aspeto, esse "bem comum" depende muito de cada opinião.

      • smoke diz:

        OS desenvolvedores podem construir o melhor sistema do mundo, tecnicamente perfeito, robusto, impecavelmente seguro, e tudo mais.Mas se não há ninguém que queira usá-lo, bom…, ele não serve para nada. Portanto, meu amigo, são sim os usuários que fazem de um SO o que ele é. E privacidade não é subjetiva não. O que acontece é que, no mundo de hoje, as pessoas simplesmente perderam alguns conceitos básicos e elementares de convivência. Estando do outro lado de uma tela de computador, se tem a impressão de que tudo o que se faz na rede não tem abrangência no mundo real, por ser tudo "virtual". Por fim, por tudo que venho acompanhando sobre o assunto, a minoria é de quem não se importa com esta questão, ao contrário do que você diz.

      • Gramathur diz:

        Digamos assim…
        Que uma empresa que confecciona ternos, tem 90% de seus usuários pessoas que nada entendem sobre tipos e qualidades de panos. E tem 10% de usuários que entendem sobre tecelagem, fibras e tipos e qualidades de panos.
        E esta empresa começa a derepente a confeccionar seus ternos com panos feitos de fibras frágeis que em algum momento rasgarão nos fundilhos expondo as intimidades de seus clientes.
        90% continuam comprando os ternos, mas 10% que sabem, resolvem avisar a empresa sobre este problema sério.
        Se a empresa ouve a opinião destes 10% que entendem e resolve mudar a matéria prima. Os outros 90%, mesmo não sabendo de nada, sairão ganhando também. Pois estarão usando um terno, digamos assim, seguro.
        Todos ganham! Até mesmo a empresa, que terá a sua credibilidade mantida entre todos os 100% de seus clientes, aos quais atrairão outros.
        Compreende, Alejandro, qual é o valor da empresa ouvir os seus clientes? Mesmo que sejam apenas 10%?

        • Ron diz:

          Se forem tirar toda esta questão, perderá a convergência de "procurar tudo pelo dash" que é a ideia do Unity.
          Desta forma, é melhor não ter isto.

          O Ubuntu quer ser um sistema que tudo pode ser procurado nele, online ou não. É algo prático. E, neste caso, todo mundo sairia ganhando. Mesmo. Mas essa coisa do que você disse, pra mim, é reverter, no sentido do Ubuntu. Até porque tiraria toda a convergência.

  13. Bert diz:

    Achei super bacana o artigo e a discussão em torno do assunto.
    Muito saudável e adorei os pontos de vista…

    …só não sinto necessidade de mudar de residência toda vez que descubro que tenho um vizinho fofoqueiro.
    Se fizer isso vou ter que me mudar todo mês ou então morar numa ilha. :p

    Eu desabilitei tudo o que me incomodava (incluindo o ZeitGeist) e continuo usando o Ubuntu numa boa.
    Tem umas outras coisinhas aqui que ainda vou experimentar e ver se funcionam: http://viniciusmuniz.com/melhorando-a-performance

    Além de tudo o mais: Não existe privacidade hoje em dia (e cada dia menos)…

    …nem mesmo usando T.A.I.L.S. (que não tem 100% de segurança).

    Simples assim!!!

  14. LCF diz:

    Uso e continuarei a usar Ubuntu, sempre defendi um SO com identidade própria, agora acredito que a Canonical esta chegando Próximo. Longe de mudar de distribuição, Unity embora ainda pesado " por estar usando com hardware de baixo calibre", planos para trocar de maquina este ano, aí sim darei preferencia a uma mais potente.
    Até lá Ubuntu 12.04, com celeron 430, 1 gb ram. aqui ta de bom tamanho.

    • Cláudio Novais diz:

      Você tem placa de vídeo instalada? É que se não tiver, o seu sistema não deve ser fluido :\

      De resto, sim, também gosto que a Canonical esteja a espicaçar com o mundo Linux. Isso faz o mundo Linux crescer. Basta ver como tem sido o desenvolvimento do GNOME! Ele nunca evoluiu tanto em tão pouco tempo.

      • LCF diz:

        Como disse meu pc é bem ruim zinho mesmo, não é uma estão para jogos, ai rodando o que preciso ta de bom tamanho, é tudo om bord, nada de placa de vídeo, como você disse não esta fulido, sinto uma que ele poderia responder melhor " usava com Gnome 2 a mesma maquina ", com o 8.04 que ainda tenho num hd antigo é muito grande a diferença. Como disse estou a ver algo melhor mais bonito e funcional, não tenho a perder, também não trocarei o 12.04 ate que tenhamos parte das mudanças amadurecidas, 0 12.04 tem muito chão pela frente.

        Um abraço gosto muito de suas postagens.

        Fique com DEUS.

  15. abdo diz:

    Interessante mesmo é a inversão de conceitos básicos

    A Canonical querendo que seu SO aja como um navegador e a Google querendo que seu navegador seja um SO.

    E a finalidade é a mesma nos dois caso $$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$

  16. Angelo Brito diz:

    mas… mas… li agora este artigo e fui as definições de privacidade e o que lá estava?

    "Registar Actividade?" Ligado-Desligado!"

    Ou seja se eu desligar este registo de actividade a canonical continua a retirar os dados das minhas pesquisas?

    para realçar estou a usar o final beta 13.03 com as ultimas actualizações…

    • Cláudio Novais diz:

      Não Angelo! Aí é que estão o ponto de este artigo estar correto na minha opinião! ;)

      É quem quiser desligar, simplesmente vai a essa opção e desliga. Pronto. Resolvido! ;)

      PS: em todo o caso, desligar essa através dessa opção tem o inconveniente de desligar também outras coisas. Por isso recomendo a remoção da lente que faz a coleta da informação ao invés de desligar por aí. O motivo e a maneira como remover estão explicados aqui: http://ubuntued.info/como-desligar-os-resultados-

  17. Eduardo diz:

    Fiz o que o texto sugere: mudei de distribuição!
    Não uso o google now, restrinjo dados no facebook (quase não tenho informações pessoais por lá e compartilho a informação com apenas poucas pessoas que me interessam). Não estou sempre querendo comprar algo e uso a extensão adblock no firefox pois não quero ver anúncios enquanto procuro algo. Se eu quiser comprar algo, procuro específicamente por aquilo em algum momento. Enfim, o que costumo bloquear nos sites que visito está começando a existir no SO. Fica imcompatível usar o ubuntu nessas condições. Acho uma pena, pois gostava do sistema.
    De qualquer forma, ao mudar de distribuição aprenderei mais sobre linux, o que me interessa bastante.

    • marco antonio da rosa diz:

      ora é só desligar a opção registrar actividade e pronto privacidade de volta, desculpe mas não consigo enterder o problema em desligar isso.

  18. Alejandro diz:

    Acho que falar de "usuários" é como falar em "pessoas", é muita gente diferente com necessidades diferentes. Acho que a Canonical escuta sim os "usuários", se não fosse assim não estaria onde está agora. Isso não quer dizer que Canonical tem que fazer aquilo que o grupo dos usuários mais barulhentos quer que faça, muito menos ainda se essa opinião, que eu acho seja minoritária, condena à empresa à falência. Por que pensar que é errado criar uma distribuição orientada ao "usuário" que usa Facebook, Twitter, Google, Steam, Drive, Gmail, Yahoo e que sua preocupação com privacidade não é tanta como para se importar pelo que escreve no dash e aonde isso possa ir? Errado não é, não. Errado é reclamar tendo tantas outras opções e teimar com que é Ubuntu que tem que fazer minhas vontades. Acho que Hall quando fala que quem quiser pode ir embora, está dizendo "estamos fazendo o melhor possível mas não podemos conformar todo mundo". Se a estratégia da Canonical estiver equivocada, a maioria dos "usuários" vai mesmo embora e Ubuntu desaparece do mapa. Se estiver certa, continua a crescer e a inovar. Eu acho que está mais certa do que errada.

    • Gramathur diz:

      Uma empresa estar crescendo, não significa necessariamente que ela esteja certa!
      Veja que o Marketing é uma ferramenta de convencimento poderosa.

  19. as pessoas reclamam de privacidade mas utiliza google, facebook, twtiter, orkut e entre outras redes sociais.

    Privacidade é algo que não existe, quer privacidade? não utilize tecnologia, não faça compras, e não Viva.

  20. Gramathur diz:

    Rodolpho, parabéns pelo artigo! Muito bem escrito! E são parabéns merecidos, porque você escreve muito bem mesmo! Este elogio é para você e para o seu artigo e meu comentário que se segue não tem a ver com você. OK? Mas sim com a Canonical!

    A afirmação de Michael Hall da Canonical é muito esclarecedora. Mais clara do que isto, só se ele usasse uma frase mais direta: "Usuários não precisamos de vocês mais. Já os usamos e já temos o que queremos!"

    No entanto sem radicalizar, embora a sensação seja bem esta mesmo. Penso que, é bastante acertado quando você afirma no final de seu artigo que "O poder ainda está na mão do usuário".

    Mas qual tipo de usuário, Ron?

    O problema é que a maioria dos usuários simplesmente aceitam as coisas e o próprio sistema tal como está após instalado. Não fuçam, não mexem, não modificam. E não desligam o que poderiam desligar. Só reclamam.

    Ou pior… Nem sabem nada do que está de fato acontecendo. Simplesmente porque o Ubuntu não foi feito necessáriamente para quem conhece Linux, mas para pessoas que apenas querem usar o computador sem mexer em nada. Pessoas muitas vezes pós usuários de windows. Em síntese… Um sistema feito para Humanos..

    Se possível Humanos que não pensem, mas consumam.. Porque a idéia é bem esta, consumismo. E nisto, nenhum humano comum tem poder algum. Porque Humanos Comuns, simplesmente não conhecem sequer as leis de defesa do consumidor, quanto mais fazer mudanças em um sistema operacional que já vem prontinho para uso.. Pensar para que, não é?

    "Privacidade para que? É "di grátis"…

    • Cláudio Novais diz:

      ENORME comentários Gramathur! Adorei esta sua visão que faz todo o sentido. Aliás, eu recordo-me de pensar exatamente isso quando li as palavras do Michael Hall! Ele diz aquilo pois sabe bem que já estão suficientemente no mercado para poderem fazer este tipo de coisas. A maioria não irá mudar e isto é lucro que eles ganham!

      Se publico alvo fosse apenas "linux users clássicos", esta atitude dele teria destruído por completo a Canonical. Mas o publico do Ubuntu não é só esse, até pelo contrário! E aqui que está a chave do "sucesso" em ganharem dinheiro com isto. Os usuários avançados, que não são muitos removem. Os outros, vão dando dinheiro. Esses outros são muitos mesmo!!

      Entretanto Gramathur, costumo gostar de ver muitos os seus comentários. Acho que definitivamente devia voltar ao Forum do Ubuntued!! Até porque ele quase existe por sua culpa! :D

      • Gramathur diz:

        Vou.
        Valeu, Claudio. Eu gosto muito deste blog, deste seu trabalho em divulgar e orientar quem quer usar e permanecer no linux. Do trabalho de todos aqui e lá.
        Não sei direito como contribuir e muitas vezes me incomoda apenas absorver sem retribuir nada. E vampirizar é algo que não considero aceitável .
        Algumas vezes tinha mesmo a sensação de estar incomodando com meus comentários sobre a Google, Unity da Canonical, e outros. E se não contribuo, incomodar também não posso. Por isto me afastei.
        Mas acredito que eu estava enganado. Porque você me pegou de surpresa com este seu comentário.
        De qualquer modo e sob todas as formas, sempre serei muito grato Claudio.
        Porque acredito que se estou no Linux este tempo todo, a razão são os tutoriais deste blog aqui.

        • Muito obrigado mais uma vez por essas palavras. Sobre a participação no Forum, eu sempre achei que você deveria lá estar e fico muitíssimo contente que volte! :)

          Não sei porque acha “vampirizar é algo que não considero aceitável” quando nunca vi nada de perturbante nas suas participações. No forum do Ubuntued fala-se abertamente com a nossa opinião. Só há algumas limitações de liberdade (regras) que estão entregues a áreas muito específicas que levam sempre ao diálogo “aquecido”, nomeadamente política, religião entre outros pormenores. Apenas não existe essa liberdade simplesmente para evitar conflitos, nada mais!

          De resto, opine sempre que quiser, refute o que achar, isso é excelente para o diálogo e compreensão mútua. Já mudei muitas vezes de opinião sobre muita coisa enquanto participava no Fórum. Dialogar e argumentar a nossa opinião não implica que ela seja acertada no final da discussão nem muito menos implica discussão conflituosa! ;)

          Participe à vontade e se tiver de dizer mal da Canonical pode dizer, eu passo a vida a fazê-lo xD Não para rebaixar o trabalho da Canonical, mas apenas para estamos cientes de certos aspetos. Se uso o Ubuntu é porque gosto muito dele, mas não sou cego é há muita coisa que gostava que a Canonical mudasse. Se não mudar, mudo eu o que precisar no Ubuntu :D

  21. Sami Souza diz:

    Belíssimo post! Bem adequado para o momento que a comunidade vive com essas mudanças propostas pela Canonical. Muitos levantam bandeiras e outros ainda trazem uma "ferrugem" característica dos usuários de sistemas proprietários alimentando as tais reclamações exageradas. O problema, realmente, é muito pequeno para tanto barulho.

    • Cláudio Novais diz:

      Olá Sami,

      Falando sobre os sistemas fechados, nesses nós não fazemos a mínima ideia do que se está a passar. Aliás, já se descobri em sistemas móveis muitas aplicações que faziam rastreios (nomeadamente aplicações do iOS) sem ninguém saber pois era fechadas.

      Neste caso, no Ubuntu, só mesmo o GOogle chrome e algumas outras aplicações mainstream é que realmente podem estar a fazer essas coisas. De resto, no Ubuntu o que é rastreado nós sabemos realmente porque é open-source.

      Muita gente que critica estas lentes da Canonical (que criticam até com bastante legitimidade, temos de aceitar isso porque é verdade) provavelmente usa o Google Chrome. Ora, só o facto de usar uma aplicação fechada por si só já devia ser motivo para perder a legitimidade. Falando de um aplicativo de uma das empresas mais abusadoras de privacidade, então aí é que perde-se logo a credibilidade.

      Não quero com isto dizer que a Canonical é um santo vivo. Não é. Eu não uso as lentes. No entanto, há que medir as coisas. E de facto a Canonical tem isto e mostra que dados manda porque o código é livre. Quem não quer, basta desligar (o ubuntued tem esse artigo!). Já o Google Chrome, quem quer quer, quem não quer correr riscos não tem hipótese se não remover o programa todo e pronto.

      O mesmo posso falar do Skype, steam (que manda MUITOS dados do sistema) entre outros softwares fechados que não sabemos sequer que informações estão a mandar.

      • Sami Souza diz:

        Falando um pouco sobre sua observação a respeito do Chrome: qual browser você sugeriria no caso de eu não querer tanta exposição, ou coletas de dados na navegação?

  22. Antonio Souza diz:

    Vejo muita gente que reclama que usa o Facebook, por exemplo. E tantos outros serviços obscuros. Pelo menos no Ubuntu eu posso dar uma fuçada nos códigos e saber o que está realmente acontecendo. Será até um aprendizado novo. E eu posso configurar o sistema para minha filha caso ela não queira.

  23. eduardo chaves diz:

    Como assim. quais são as formas de sair da canonical?

  24. Hilton Filho diz:

    Ok. Bem posto.
    A única coisa com a qual não concordo é não haver opções de compra o Amazon toma conta. E pra quem mora no Amazonas, BR isso não é legal, pois somos privados de grande parte do conteúdo da Web. E outra, sou um usuário simples, não tenho muito o que esconder. Se eu tivesse uma vida realmente pública e tivesse coisas a esconder com certeza me queixaria de privacidade. A propósito, removi as lentes da Amazon.
    Simples assim.

  25. bawlaw diz:

    eu fui um que mudei para o Mint por conta desse problema..
    acho errada a opiniao do Mi­chael Hall.. eles não querem é ter trabalho de ouvir seus usuarios..

  26. leoseries diz:

    Ótimo post cara. Realmente concordo contigo, o poder está nas mãos do usuários. O que eles tem que fazer é parar de reclamar. Eu admiro muito a Canonical, ela está tentando inovar, infelizmente tem muitas pessoas que são do contra. Pra mim é simples, se gostar use, senão, não use! Por enquanto estou amando tudo de novo que vem aparecendo no Ubuntu.

    • Cláudio Novais diz:

      "Pra mim é simples, se gostar use, senão, não use!"

      Ou então:
      "Se gostar use, senão, simplesmente remova as lentes da Amazon e continue a usar!" xD

      Mas sim, vocês têm razão! ;)

      • Júlio Brito diz:

        Não concordo não. Levando em conta isso se perde usuários e a Canonical afunda e quebra. Precisa entrar em acordo com seus clientes e não o contrário.

        • Cláudio Novais diz:

          Claro que isso seria a situação perfeita. Mas e se agora toda esta questão da privacidade se revoltasse também para Windows e Mac? Será que essas empresas fariam algo? Custa-me a crer.

          É como pedir ao Google para remover as publicidades das suas pesquisas. São coisas que claro que seriam boas para os "clientes" mas não vão de encontro aos lucros das empresas. Aqui, infelizmente a Canonical quer esse dinheiro e portanto não há muita volta a dar a isto.

          Ou melhor, há, basta remover ou escolher outra distro!

          • Júlio Brito diz:

            Não acho. A Canonical vai perder usuários. A apple não faz isso diretamente com o usuário e nem mesmo a microsoft. Se fazem é escondido. No caso da Canonical está muito mal feito. Eu como usuário quero fazer minhas pesquisas no google e não no dash do sistema. É incoerente para não dizer feio.

          • Cláudio Novais diz:

            Aí é que está o ponto júlio. Você não sabe nem as outras pessoas e por isso não critica. Mas a verdade é que podem muito bem estar a fazer isso e muito mais. Aliás, o Steam faz isso e ninguém critica!

            No caso da Canonical, faz abertamente e é crucificada! Eu por mim acho que cada um faz o que bem entender, se não quiser remove. Eu removi e vou continuar a remover! ;)

            Sobre ser feio? Meh, até nem acho. O conceito até me parece bastante prático, procurar vídeos, musicas, sinónimos de palavras, consultas no google (um dia) entre outras coisas. Parece-me interessante.

          • Júlio Brito diz:

            imho essa coisa de unificação me parece mais desorganização. Acho mais bonito tudo no seu lugar como uma app center, um navegador e um dash para trazer resultados de arquivos no pc.

            :)

          • Cláudio Novais diz:

            Partilho da mesma opinião principalmente no que toca a aplicações móveis e aplicações de desktop. Não podem ser as mesmas. Eu pelo menos não gosto de usar aplicações móveis num desktop. Exemplos disso? Basta olhar para o novo gwibber e calculadora que querem trazer no Ubuntu.

            Agora sobre a dash ter muitas coisas, eu gosto da ideia! Aliás, já tive uma lente no dash que fazia contas matemáticas. E sabe que mais? Usei e abusei dela! Entretanto não sei bem porquê (acho que foi quando comprei o meu SSD) não me dei ao trabalho de a instalar. mas que era extremamente prática, isso não duvide.

            O mesmo acontece por exemplo com HUD. Eu até a começar a usá-la sempre achei algo nada prático. Agora? Extremamente prático em certas aplicações, nomeadamente Gimp e LibreOffice. Isto é uma questão de ser prático e não de substituir por inteiro um navegador. Repare. Em vez de eu abrir um navegador e procurar por um vídeo (atenção não costumo fazer isto, mas admito que seja prático), porque não procurar pelo vídeo, ver se ele existe e depois abri-lo com o navegador diretamente pelo dash? Porque não? Eu gosto dessa ideia!

          • leoseries diz:

            Algumas lentes valem a pena. Depende muito da pessoa e da ocasião. Eu cheguei a lente da Wikipedia e achei tão prática. Estou com um dúvida, abro o dash e procuro algum artigo na Wikipedia, pronto, problema resolvido. O interessante é que diferente de outras grandes empresas, a Canonical te dar a liberdade de usar ou não esses recursos. Agora cabe ao usuário correr atrás e se informar se quer ou não usá-los. O Ubuntu está cada dia mais intuitivo que isso não será um problema para usuários comuns.

          • leoseries diz:

            A primeira coisa que eu fiz quando mudei para o Ubuntu de vez foi desativar as lentes, mas o motivo não foi porque está mal feito, simplesmente porque não queria esse tipo de acesso no meu pc. Em relação à estética eu não acho que seja feio, eu gosto bastante e acho bem bonito. Também não vejo que seja incoerente.
            Um problema que noto é que todos estão crucificando a Canonical porque ela veio ao público e disse que estava fazendo esse tipo de coleta de dados, mas ninguém questiona o que o Google faz por exemplo. E mesmo a gente não tendo histórico concreto, mas as demais empresas fazem o mesmo, porém escondido. Os SO móveis estão aí de prova.

          • Cláudio Novais diz:

            Leo, o mais caricato é quando você arranca com um liveCD e navega a uma determinada página. Por exemplo, por algum motivo carrega numa publicidade do seu site preferido. Sabe o que acontece depois durante toda a sessão!? Todos os sites que visita apresentam informações relativas a esse clique que você deu!

            Ou seja, existe uma intrusão incrível ao nível da privacidade e nem sequer é preciso estar autenticado. No caso da Canonical não está a fazer muito mais que isso, aliás, está a fazer melhor pois "põe os pontos nos i's", admite o que faz e de que maneira faz.

            Agora independentemente disso, eu também prefiro remover e manter um pouco a minha privacidade pessoal, longe dos olhos da internet que já me passa a vida a controlar.

          • Artus Rocha diz:

            Estão crucificando a Canonical por agir de forma transparente.
            Vai entender

          • Cláudio Novais diz:

            É precisamente aí que eu quero chegar!! Não sou amante destas pesquisas, como eu disse anteriormente. Mas a verdade é que estão a crucificar uma das poucas empresas que falam disto abertamente e dão possibilidade de remoção.

            E as outras, que são muitíssimo maiores? Google, Facebook e quiçá Microsoft!? Não deviam também criticar essas empresas da mesma maneira ou pior? Reparem que o Google Chrome é o Chromium FECHADO! Porque haveriam eles de o fechar? Ok, podem dizer que é teoria da conspiração, mas sinceramente, custa-me a acreditar que tenham o Chrome fechado só porque sim.

Deixe uma resposta a @antoniomatos78