Unity Next rodando no MIR

O Unity-Next (Unity 8) é a próxima geração do ambiente visual do Ubuntu. O Unity-Next será usado não só na versão normal do Ubuntu (para desktops e laptops), mas também no Ubuntu Touch (versão do Ubuntu para smartphones e tablets), fazendo jus ao seu nome, Unity – unicidade.

Para além deste excelente conceito, de ser o mesmo sistema para vários sistemas operativos com diferentes propósitos, ele ainda tem um objetivo muito importante para ter um sistema rápido e eficiente: vai ser usado com o servidor gráfico MIR que está a ser desenvolvido pela Canonical e que tem o objetivo de substituir o X11.

Esta semana, provavelmente para se discutir o estado atual do Unity-Next durante na UDS que termina amanhã, apresentaram um vídeo demonstrativo do Unity Next a funcionar num computador e também um vídeo a mostrar o estado atual do Unity-Next também com o MIR num smartphone.

A ideia de demonstrar o estado atual do Unity-Next veio pelo Jono Bacon, um dos membros mais conhecidos do Ubuntu. Ele pediu a um dos desenvolvedores do Unity-Next, o Michael Zanetti, para mostrar como o Unity-Next funcionava através do MIR. O resultado é simplesmente surpreendente.

Apesar do Unity-Next e do MIR estarem ainda em desenvolvimento ativo, longe da versão final, o estado atual já promete muito. Pela demonstração podemos constatar rapidamente que o sistema está bastante fluído e funcional. Ao nível estético já está bastante prático tal como já era esperado. Veja o vídeo:

Depois de vermos o vídeo, claramente não podemos deixar passar o pequeno pormenor do amor ao KDE do Michael Zanetti (será que vai mudar o rumo do Ubuntu? brincadeira… :). Um outro pormenor que podemos constatar também é o hardware em que é apresentado o Unity: um computador da Apple. Independentemente das discussões e rivalidades entre Linux e MacOS, podemos fazer uma análise bastante interessante: o computador tem uma placa de vídeo modesta (Intel HD 4400), com poucas capacidades e executa o Unity-Next com uma fluidez muito boa.

Para além disso, a resolução deste computador é de 2880×1800, ou seja, é monitor com tecnologia Retina, algo que a maioria dos sistemas visuais Linux ainda não estão preparados. Ora, o Unity parece já estar funcional para este tipo de tecnologia que em breve irá aparecer com muita frequência nos novos computadores.

A velocidade e fluidez das animações é claramente algo surpreendente, visto que o Unity-Next ainda está em desenvolvimento, bem como o MIR, e visto que é um computador com uma resolução muito alta com uma placa de vídeo relativamente fraca. À primeira vista parece bom, e deve ser. No entanto, devemos ter em conta que muito provavelmente muitas das informações apresentadas são estáticas, nomeadamente informações de filmes e programas. Num computador normal, estas informações são processadas e até obtidas pela Internet, fazendo com que os sistemas fiquem mais sobrecarregados e portanto mais lentos.

Entretanto, tal como pode ver no vídeo abaixo, um outro vídeo surgiu, feito pelo Kevin Gunn, em que é apresentado o Unity-Next juntamente com o MIR mas agora num smartphone, num Galaxy Nexus:

Novamente podemos constatar que o sistema parece estar bastante robusto. Mostra que está funcional e inclusive demonstra rapidez nas animações. No entanto, ao contrário do vídeo do Unity Next no computador, neste vídeo consegue-se ver que existe uma fluidez menor. Talvez seja um preciosismo, mas o Ubuntu Touch irá concorrer com sistemas como o iPhone onde estas animações são extremamente fluidas e portanto os utilizadores certamente serão exigentes nestes aspetos.

 

E você leitor do Ubuntued? O que achou do que viu?

 

Referências

29 Respostas ate agora.

  1. Alvinson diz:

    Massa é a camisa do cara com KDE. kkk…

    Em minha humilde opinião, se esse servidor não rodar macio em placas de vídeo simples de nada adiantará.

  2. cochise diz:

    O Unity Next é desenvolvido em QtQuick, portanto a fluidez das animações não é nada demais. Não é como se você fosse fazer o ambietne e só depois animar. A pipeline é única.
    E a HD 4400 da intel é uma puta placa, não chega aos pés de uma top de linha, mas modesta é o que não é.

    • Cláudio Novais diz:

      @cochise Eu não quis dizer que a placa de vídeo era fraca, queria apenas dizer que comparando com uma placa de vídeo dedicada a coisa é bem diferente! Só isso! ;)

  3. Marco Túlio diz:

    Eu gostei porem eu gostaria se possível a canonical bem que poderia implementar controle de gestos no touch pad ai sim ficaria mais interessante. O ubuntu reconhece a função scroll com 2 dedos, poderia fazer uma adaptação a partir dai.

  4. Luís Puhl diz:

    Só acho que a canonical tá transformando o ubuntu em um meio termo de MAC e Windows, o que não acho legal.
    Unity até que é única, mas a unity touch e até mesmo os icones do 13.04 lembram seus concorrentes.

    Sou daqueles que quase voltaria para o Gnome2, se não fosse tão fácil usar o Dash pra encontrar as coisas.

    • Cláudio Novais diz:

      Olá Luís,

      Eu acho que a Canonical teve a ideia brilhante de buscar tudo o que é bom dos vários sistemas e integrar no Ubuntu, mesmo que a acosassem de copiar. O Global Menu foi uma cópia descarada do Mac, mas ainda bem que copiou, eu adoro ver o meu Ubuntu com mais espaço vertical. Mas para além de copiar ela acrescentou inúmeros pormenores interessantes, nomeadamente o Maximus, que é a remoção da barra de título quando se maximiza uma janela.

      Há outros pormenores, o que quero dizer é que sim, copiaram, mas só copiaram coisas boas e nisso eu gosto. Em todo o caso eu sempre fui o primeiro a dizer que não gostava de várias coisas do Unity: não é muito bonito e não permite temas; apesar de já estar muito leve continuo a achar muito pesado (tem muita latência ainda); Funcionalmente é muito limitado, não permite por exemplo esconder barra superior ou mudar a posição das barras.

      • Carlos diz:

        Claudio, já que tocou no assunto, tenho muito interesse nessa função “maximus” que esconde a barra de menus, mas só funciona no Unity ou tem como rodar em gnome shell e outros ambientes? Obrigado.

        • No Gnome-Shell existe uma extensão para esse efeito. Sobre o Maximus, isto não é um software da Canonical. Na verdade ele já existia antes de o Unity aparecer, na altura do Gnome2! Entretanto, a Canonical pegou nele e fez um fork unificando-o ao Unity. Na altura que a Canonical fez o fork havia alguns bugs que por vezes aconteciam, não me recordo ao certo mas sei que um deles era ao arrastar janelas maximizadas elas ficavam sem barra. Esses pormenores como já pode ter constatado foram corrigidos no fork que está dentro do Unity.

          Sobre o Maximus, eu nunca mais ouvi falar dele, por isso não faço ideia qual é o estado atual dele, nem sei se a referida extensão do Gnome-Shell o usa. Creio que não pois a extensão não faz qualquer instalação de pacotes.

  5. LarcBP diz:

    O que importa é o comparativo de performance e uso de memoria.

    Se o Wayland ou o MIR forem melhor eu troco o motor e mantenho meu gnome-shell.

    • Em princípio vão ser melhor, claro! Mas é necessário que as placas de vídeo sejam compatíveis e nisso eu temo que as mais antigas não sejam capazes de tal coisa.

      Entretanto, em princípio, é possível que o MIR não funcione com o Gnome-Shell, ou seja apenas irá funcionar o Wayland. Mas muita coisa pode mudar claro! ;)

  6. rayffe diz:

    Sou um visitante aciduo do site, parabéns por trazer essa matéria, gostei do Unity next, e esse MIR me pareceu promissor, apesar de muito mobile,

    Será se a canonical quer fazer igual a M$ que transformou A janela em um sistema quase que inteiramente “tablet” ?, não sei

    Ah. e parece-me que houve uma Gafe, essa placa de video integrada da intel é uma das melhores, inclusive vem com um i7, portante esse iMac deve ser um possante danado, minha HD 4000 que o diga

    abraço

    • Cláudio Novais diz:

      Não era gafe Rayffe, quando escrevi isso era mais no sentido de que não usava uma placa de vídeo dedicada. Era só nesse sentido, obviamente que um i7 é um computador muito poderoso. Eu apenas quis referir que sendo uma placa de vídeo integrada e com uma resolução gigante como é a resolução da tecnologia Retina, espera-se que em computadores com uma placa de vídeo "normal" (externa) a fluidez seja ainda melhor! ;)

  7. Eu achei de mais. Esperando só pegar meu mac pra colocar o ubuntu e o iphone 5 s pra o ubuntu touch… Vai ficar de mais…

  8. Marcos diz:

    Que bom que está andando. Vai ser mais uma alternativa. Só espero que a distribuição não crie aplicativos que dependem dele para rodar (fora o Unity). Pois seria ruim ter um Linux travado.

  9. Carlos diz:

    “placa de vídeo modesta (Intel HD 4400), com poucas capacidades”

    Modesta? Só pra rodar o ambiente gráfico?
    Ok, a resolução é enorme, mas esse mac retina vem com um processador um tanto potente.

    E se não me engano nesse modelo o vídeo é híbrido…

    Tenho aqui uma Intel HD 3000 e roda tudo muito fluido, inclusive games pesados.

    O dia que o Unity necessitar de algo nessa configuração aí veremos usuários Ubuntu reclamarem de verdade.

    • Cláudio Novais diz:

      @Carlos, eu não cria dizer que essa placa de vídeo era fraca, na verdade o que eu quis dizer é que ela não é nenhuma placa dedicada. Claro que uma placa de vídeo de um computador i7 obviamente que é poderosa, mas tendo em conta que é uma placa de vídeo "partilhada" (não dedicada) e a resolução é muito alta, podíamos tirar boas conclusões principalmente para quem tem uma placa dedicada (nvidia ou AMD).

  10. Rafael Schonberg diz:

    Gosto do Unity.

    Por isso esta notícia é o melhor que eu podia receber.

  11. carlos diz:

    Ainda é cedo, mas parece que não tem mais volta. Teremos um
    Ubuntu único, com apelo da Canonical e colaboradores, e também uma ajudinha do governo Chinês “$$$$”, +- uns dois anos e terei um sistema que sempre quis. Se for bom mesmo,
    aceito contribui no momento do downloads.

  12. Anderson Abreu diz:

    Olá, Pessoal.

    Percebi que muita gente tá tendo o mesmo problema que eu, minha placa de vídeo AMD e o ubuntu 13.04.
    Encontrei uma solução na net mas devo estar fazendo algo errado pois não deu certo no meu notebook.
    Tenho uma placa de vídeo Radeon 6200, quando instalo o drive dela some tudo e só fica o mouse.

    A solução está no link abaixo. Eu achei meio enrolado (talvez seja esse o motivo de não ter dado certo). Vocês poderiam fazer um tutorial mais bacana e com um esquema mais bacana pra solução do problema. O que acham?
    http://forumubuntusoftware.info/viewtopic.php?f=7

    Abraço

    Anderson Abreu

  13. Willams diz:

    Muito bonito e rápido, mas não acho que ele seja "fluído" o suficiente para um OS voltado aos computadores. Assim como o Windows 8, ele seria melhor para tablets, assim como é o Ubuntu Touch.

    Custei a trocar o Gnome pelo Unity, e, agora, eu não troco por esse aí não!! hehe

Deixe uma resposta a Pedro Pires