Este artigo é um guia completo que explica como fazer cópias de segurança de discos ou partições inteiras. Este artigo dá a conhecer o Clonezilla uma excelente ferramenta que permite guardar o estado de um disco da forma mais completa, segura e compactada.

Através deste artigo poderá então fazer backups (cópias de segurança) de uma partição ou do disco inteiro, permitindo assim não só que você guarde os seus dados importantes em local seguro, mas também que faça backups e possa experimentar fazer o que quiser com o disco e voltar atrás exatamente como estava no momento do backup.

Para provar este facto o artigo apresenta um vídeo demonstrativo de todo o processo e comprova que o resultado final é exatamente o mesmo de aquando da cópia de segurança.

De ressalvar mais uma vez que o Clonezilla é ideal para dois aspetos muito importantes:

  • Fazer backup de informação importante;
  • Fazer backup do disco para que possa experimentar instalar um outro sistema operativo. Se não gostar, poderá recuperar de forma muito simples o estado anterior. Isto é particularmente útil para quem tem um Ubuntu instalado, sem problemas, mas quer experimentar uma nova versão do Ubuntu ou até uma outra distribuição Linux.

Ao nível empresarial, esta ferramenta pode ser também muito útil pois permite replicar o disco muitas vezes em vários computadores, algo que é comum ocorrer em certas empresas que necessitam de atualizar os seus sistemas informáticos.

Funcionalidades do Clonezilla

  • O Clonezilla é totalmente livre e tem um nível de viabilidade considerável;
  • Suporta os seguintes sistemas de ficheiros:  ext2, ext3, ext4, reiserfs, reiser4, xfs, jfs, btrfs, FAT12, FAT16, FAT32, NTFS, HFS+, UFS, NetBSD, OpenBSD, VMFS3 e VMFS5. Quer isto dizer que funciona em praticamente qualquer sistema operativo: Linux, Windows e até Mac OS;
  • Permite replicar uma imagem para vários discos ao mesmo tempo;
  • Permite restaurar/replicar imagens remotamente;
  • Uma imagem pode estar num disco, ou num servidor SSH (para manter a máxima segurança), servidor Samba ou até num servidor NFS;
  • A imagem resultante (cópia de segurança) é compactada, resultando então numa cópia com um tamanho bastante inferior;

 

Limitações do Clonezilla

  • O Clonezilla, ainda não tem função de cópia de segurança incremental (seria muito útil para quem costuma fazer backups com regularidade);
  • A partição de destino tem de ter um tamanho superior à de origem;
  • Não é possível clonar um disco montado. Por isso mesmo é necessário iniciar o liveCD do Clonezilla para fazer as cópias de segurança e restauros;
  • RAID não suportado;
  • Uma vez que a cópia de segurança é compactada, não é possível navegar pelos ficheiros da cópia de segurança,
  • Se escolher um DVD, a cópia de segurança tem de caber nele, não é possível gravar uma cópia de segurança em vários DVDs.

Pré-requisitos

O pré-requisito principal aqui é o facto de ser necessário ter local para guardar a cópia de segurança. Como é óbvio se se quer fazer uma cópia de segurança a um disco, então não pode guardar o resultado nele próprio. Portanto, consoante a cópia de segurança que você vai fazer, precisa de ter um dispositivo (ou partição no caso de cópias de segurança de partições) auxiliar. Esse dispositivo pode ser um disco, um disco externo, um penUSB ou até um DVD.

Como é óbvio esse dispositivo tem de ter espaço livre suficiente para que os conteúdos sejam gravados. De salientar que os conteúdos são compactados portanto a cópia de segurança nunca será maior que o original.

Um outro requisito que você precisa de ter é uma penUSB ou um CD para gravar o Clonezilla. Uma vez que o Clonezilla precisa de ter os discos não montados para fazer as cópias de segurança, você precisa de arrancar com o Clonezilla pelo seu liveCD. Para poupar dinheiro, você pode gravar o Clonezilla num penUSB tal como é mostrado mais abaixo.

 

Vídeo Demonstrativo

 

Como fazer backup de um disco/partição

Faça download do Clonezilla

O Clonezilla não é mais que um sistema operativo que arranca num CD ou num pen. Portanto, você precisa de fazer download dele clicando no link seguinte (aguarde até que a transferência inicie automaticamente):

O ficheiro é pequeno, tem cerca de 125MB e portanto cabe mesmo em pens USB mais antigos!

 

Grave o Clonezilla num CD/DVD ou num penUSB

Quando a transferência terminar, grave o ficheiro iso num CD/DVD ou então num penUSB. A recomendação da equipa do Ubuntued é a utilização de um penUSB através do programa UNetBootIN. Você pode encontrar todas as informações de como gravar a ISO do Clonezilla através do UNetBootIn no artigo seguinte:

 

Arranque o Clonezilla e faça o Backup

teclado_ClonezillaNota: para utilizar o Clonezilla, deverá fazer uso das teclas das setas para mover entre as opções e depois deverá utilizar a tecla “Espaço” para selecionar as respostas. O “Enter” poderá ser também utilizado, no entanto dê preferência ao “espaço” principalmente em perguntas de escolha múltipla.

1. Quando o seu computador arrancar com o Clonezilla, a primeira coisa que irá ver é a algo semelhante à imagem abaixo. Deverá selecionar a primeira opção para iniciar o Clonezilla.

Arranque do CloneZilla

2. Logo de seguida será questionado pelo seu idioma. Deverá escolher o idioma que mais lhe convém, neste caso Português do Brasil.

Selecione o idioma

3. Por vezes é necessário definir qual o teclado que se está a utilizar. A taxa de sucesso das opções padrão são elevadas e portanto se o seu Ubuntu foi instalado sem ter de escolher o teclado, então aqui quase de certeza que não precisará de mudar estas opções. Portanto escolha a opção “Não tocar no mapa do teclado“. Se se precisar de definir um teclado, escolha a primeira opção (pode ver o que acontece no vídeo demonstrativo deste artigo).

Definição do Teclado

4. Na opção seguinte, você pode escolher entre arrancar para o terminal do Clonezilla ou iniciar o próprio Clonezilla. A opção do terminal é apenas para utilizadores avançados que não queiram seguir este questionário. Portanto, escolha a primeira opção “Start_Clonezilla“.

Inicie o Clonezilla

5. Na pergunta seguinte o utilizador é questionado qual o tipo de clonagem que quer fazer. Escolha a primeira opção, “Device-image“, que permite criar uma imagem da cópia de segurança.

Tipo de clone

6. Como é óbvio se você vai fazer uma cópia de um disco, não irá guardar essa própria cópia no mesmo sítio. Assim, nesta pergunta o utilizador deve indicar para onde quer guardar a cópia de segurança. Neste artigo iremos apenas abordar a cópia para um dispositivo de armazenamento, que pode ser um disco ou uma penUSB por exemplo. Assim escolha a primeira opção: “Local_dev“.

Local para onde será guardada a imagem

7. Assim que você escolher essa opção, o Clonezilla irá perguntar se você já tem o dispositivo (que irá guardar a cópia de segurança) inserido no computador. Se for um disco externo ou uma penUSB, inseria e depois carregue tecla “Enter” para avançar. Caso seja um disco que tenha a mais no seu computador, não precisa de fazer nada, simplesmente carregue na tecla “Enter” para avançar.

Insira o disco para onde vai guardar a imagem

8. De seguida o Clonezilla irá apresentar os vários locais onde você poderá guardar a cópia de segurança que você quer fazer. Cada item apresentado é uma partição dos vários discos. Você poderá distinguir os discos pela sua definição, em que cada disco tem a nomenclatura sdX (por exemplo SDA, SDB, SDC) e cada partição é definida com um número. O melhor que você tem a fazer para saber qual é qual, é vendo pelo tamanho. No meu caso, eu sei que o disco que quero gravar só tem uma partição e tem sensivelmente 10GB de espaço, portanto escolhi a opção sdb1.

Escolha o dispositivo a guardar a imagem (copia de segurança)

9. Serão então listadas as pastas da partição que você escolheu. Neste caso como não tenho nada guardado no disco, só aparece a “Raiz” do disco, ou seja, o próprio disco. Escolha a localização que prefere para guardar a imagem e avance.

Escolha o local a guardar a imagem

10. A pergunta seguinte irá questionar se você quer ver opções avançadas ou não. Este artigo irá apenas abordar o procedimento normal e mínimo, portanto escolha a opção “Beginner – Modo Iniciante“.

Modo iniciante!

11. Nesta opção da imagem abaixo, o utilizador deverá escolher se quer fazer uma cópia do disco completo ou então por partições. O objetivo deste artigo é ter uma cópia de segurança capaz de recuperar a 100% caso um dia precise. Portanto, iremos apenas abordar a opção “Savedisk” que irá fazer uma cópia de segurança de todo o disco. Se quiser fazer um cópia de segurança a uma partição escolha a opção “Saveparts”.

Escolha o tipo de cópia de segurança

12. Antes de escolher qual o disco a fazer a cópia de segurança, você deverá escolher um nome para a cópia de segurança. Tente ser o mais explícito possível pois esta cópia de segurança, provavelmente, não é para ser usada a curto prazo. Portanto é importante que o seu nome seja bem descritivo para que um dia a encontre facilmente e, acima de tudo, para que não apague acidentalmente.

Escolha o nome da cópia de seguraça

13. Depois de definir o nome, será apresentada a lista de discos que você pode copiar. Nesta lista já não contempla um dos dispositivos possíveis pois você definiu anteriormente como o dispositivo que iria guardar o ficheiro da imagem da cópia de segurança. Assim nessa lista escolha o disco que você quer guardar numa cópia de segurança.

Escolha o disco a copiar

14. A pergunta seguinte irá questionar se você quer fazer uma verificação do sistema de ficheiros antes de fazer a cópia de segurança. Este ponto é altamente importante pois irá garantir que você não faça uma cópia de segurança de dados corrompidos. Assim escolha a opção do meio que diz “-fsck-src-part : Interactively check repair source file system before saving“.

Escolha a opção do meio para ter a certeza que o disco é verificado e recuperado

15. Este opção seguinte é também muito importante para garantir que a cópia de segurança foi realizada com sucesso. Escolha a primeira opção, “Sim, verificar a imagem salva” para que o Clonezilla no final da cópia de segurança analise o resultado para ver se ficou corretamente gravado.

Aceite fazer a verificação

16. A pergunta da imagem seguinte é a última pergunta até que o processo de realização da cópia de segurança inicie. Até este momento nada tinha sido guardado no seu disco. Portanto, verifique o que vai copiar (o que está dentro dos asteriscos a amarelo) e verifique para onde vai copiar (o que está a seguir a /home/partimag). Se tudo estiver correto, carregue na tecla Y e depois carregue na tecla Enter!

Tem a certeza que quer continuar?

17. O processo é demorado e varia conforme o tamanho do disco e computador. Poderá até demorar horas! No meu caso 4GB demoraram cerca de 6 minutos. Isto ocorre pois esta cópia de segurança não só copia como também comprime o conteúdo para que o resultado não seja demasiado dispendioso.

A criar a cópia de segurança

18. No final do processo de backup, será apresentada uma mensagem semelhante à da imagem abaixo. Carregue em Enter e será apresentada uma lista tal como também aparece na imagem abaixo. Carregue na tecla do número 0 (zero) e depois em Enter. O computador será desligado e então retire o DVD ou penUSB do CloneZilla.

Clonagem concluída. Avance para reiniciar.

Arranque normalmente com o seu Ubuntu e verifique se a imagem ficou no sítio que você queria. No caso deste exemplo a imagem ficou com um tamanho de 1.5GB, algo bastante bom tendo em conta que é uma cópia de segurança de um disco que tinha 3.5GB de tamanho ocupado.

Cópia de segurança realizada com sucesso.

 

Como recuperar um disco/partição

O processo de restauro, ou recuperação, de um disco ou partição é bastante similiar ao processo de criação da cópia de segurança. Apenas deve ter em atenção que neste caso ao fazer o restauro você irá perder TODOS os dados que estão no disco, visto que vai gravar por cima deles os ficheiros que tinha na cópia de segurança-

Como fazer então a recuperação? Muito simples, execute o mesmo procedimento da secção anterior até ao ponto número 10. De salientar apenas estes pormenores:

  • No ponto número 8, deverá escolher o disco onde se encontra a cópia de segurança;
  • No ponto número 9, deverá escolher a localização onde você tem as cópias de segurança.
  • Basicamente você só precisa de escolher as mesmas opções que escolheu no procedimento anterior.

11. Quando chegar ao ponto número 11, você irá concluir rapidamente que a sua aparência alterou-se em relação ao procedimento anterior. Isto acontece pois o Clonezilla encontrou cópias de segurança e por causa disso listou também opções de recuperação:

  • Restoredisk: esta opção serve para restaurar uma cópia de segurança feita a um disco inteiro;
  • Restoreparts: Nesta opção você pode recuperar cópias de segurança que tenha feito a partições;
  • 1-2-mdisks: Esta opção permite recuperar (até pode chamar replicar pois é para isto  que a opção serve) uma cópia de segurança para vários discos ao mesmo tempo. Bastante útil para quem tem vários computadores e quer pôr todos eles com um sistema igual.

Como no exemplo da secção anterior foi escolhida a opção da cópia de segurança do disco inteiro, aqui iremos mostrar como fazer a recuperação desse mesmo disco inteiro. Portanto escolha a opção “Restoredisk” e avance.

Escolha a opção para restaurar

12. Na opção seguinte (imagem abaixo), serão listadas as várias cópias de segurança que você tiver no local onde definiu nos pontos 8 e 9. Se só tiver uma cópia de segurança como é o caso deste exemplo, terá apenas uma opção. Escolha então a cópia de segurança e avance.

Escolha a imagem a recuperar

13. Na opção seguinte você deverá escolher o disco para qual você quer restaurar. Novamente tenha em atenção que esse disco será completamente apagado para que fique exatamente igual à cópia de segurança!

Escolha o disco a restaurar

14. Depois de escolher o disco o Clonezilla irá prerparar-se para fazer o restauro e irá perguntar se você quer realmente prosseguir avisando que irá perder todos os dados do disco que escolheu. Neste caso, tal como pode ver pela imagem, o ficheiro a restaurar tem o nome “2012-04-18-18-MEU-UBUNTU-COM-duas-particoes” e será restaurado o disco SDA. Carregue na tecla Y e depois carregue na tecla Enter para avançar.

Veja se está tudo certo e aceite continuar

15. O Clonezilla irá perguntar novamente se você tem a certeza do que vai fazer. Se tiver, volte a carregar na tecla Y e depois na tecla Enter.

Volte a confirmar que quer restaurar!

16. O procedimento será demorado portanto aguarde até terminar. Poderá manter-se informado com o procedimento através da interface que mostra em que estado vai o restauro:

A restaurar o disco

17. No final do processo de restauro será apresentado algo semelhante à imagem abaixo. Carregue em Enter. Será então apresentada uma lista, também mostrada na imagem abaixo, e deverá carregar na tecla numero 2 e depois em Enter para reiniciar o computador. Se tudo correr bem, o computador irá arrancar exatamente no mesmo estado de quando a cópia de segurança tinha sido realizada!

Termine o restauro reiniciando

16 Respostas ate agora.

  1. mceagle diz:

    Excelente artigo, acabo de testar e aprovar! Realmente uma excelente ferramenta alternativa ao famoso #Ghost

  2. Mauricio diz:

    Infelizmente, não consegui recuperar o disco através de uma imagem no meu HD externo, formatado como FAT. O Clonezilla gravou a imagem, mas quando tentei recuperá-la, ele não conseguia "enxergá-la". Tive que gravar a imagem em um pendrive formatado como EXT4, para só então o Clonezilla "enxergar" a imagem (o que ele não conseguiu fazer no HD FAT). Perdi horas com isso, então, vai o *ALERTA* para quem for seguir o roteiro aqui descrito…

  3. jacinto diz:

    pode dizer se ele faz becape de hd em lvm, com partições encriptadas (luks)? funfa tb com grub 2 do 12.10?

  4. Jose Moutinho diz:

    Olá, Cláudio.

    Para mim, este foi o melhor post desta excelente Ubuntued, que acompanho (estou na lista) há anos. Fiz todo o processo –> backup e restauração. Antes de restaurar fiz um teste: zerei meu HD, reparticionei, iniciei a reinstalação do Linux Mint Maya e, propositalmente, interrompi o processo que estava em mais de 50%.

    Dei o boot com o Clonezilla, que restaurou o backup do meu sistema Linux Mint Maya por completo – e sem tirar nada do que antes estava dos testes. Interessante é que eu já tinha aqui em casa uma outra versão do Clonezilla, mas não tive coragem de testar. Este artigo foi tão perfeito que me encorajou a proceder com os testes. Agora tenho uma nova opção de backup (compactado), além do MintBackup, que uso permanentemente, pois possibilita a visualização e edição dos arquivos. Trabalharei com os dois, pois se completam.

    Abraços e parabéns Cláudio pelo primoroso trabalho.

  5. Émerson diz:

    No meu caso, eu tenho HD em dual-boot: Win7+Arquivos+Ubuntu
    Se eu restaurar o Ubuntu com o Clonezilla perco as partições (Win e Arquivos) e fico só com o Ubuntu restaurado?

    • Cláudio Novais diz:

      Olá Émerson,

      Depende do tipo de cópia que você fizer. E tanto uma como a outra, só perde dados se se fizer asneira! ;) Eu sei que é óbvio isto que eu disse, mas eu agora explico.

      Se você fizer uma cópia de todo o disco (tal como o artigo demonstra), você fará uma cópia completa do disco, que abrange tanto o Windows como o Ubuntu como até os seus arquivos. Portanto, ao voltar atrás você fica com o disco exatamente no estado que fez o backup, ou seja com o Windows7 naquela altura, o Ubuntu daquela altura e até os arquivos daquela altura. Neste último tenho o cuidado que se modificar posteriormente os dados e depois restaurar, irá perder essas alterações pois o restauro inclui os arquivos.

      No seu caso a melhor política é fazer um backup só de algumas partições. Digo isto pois parece-me que não precisa de fazer backup ao Windows e até aos arquivos, só se for mesmo para ter como cópia de segurança e não para um dia voltar atrás, correto? Portanto, só precisa de fazer backup ao Ubuntu. Assim, utilize esse tipo de cópia de segurança do clonezilla que é a segunda opção do ponto 11, chamada “saveparts”.

      Depois no restauro deve é ter o cuidado de aplicar esse backup à partição correta. E é aqui que entra aquilo que eu disse da asneira no início deste comentário: você deve ter muita atenção para não pôr o backup na partição errada.

      Creio que eu expliquei o que você queria saber. Mas se tiver dúvidas, não hesite em questionar, ou aqui ou no forum do Ubuntued! É sempre bom discutir estas dúvidas para que outros utilizadores possam ver as respostas! ;)

  6. Ótima matéria, já tinha ouvido falar do Clonezilla, mas não conhecia ainda.
    Como dito no artigo o HD de destino deve ser do mesmo tamanho ou maior, correto!
    No meu caso ele é maior, me pergunto como ficara o espaço a mais que tenho após a imagem ser restaurada!

    Parabéns pelo artigo.

  7. Greyson diz:

    Além dos posts sobre o medibuntu esse é o melhor post do site! digno de pin*r!

  8. Leonardo diz:

    Parabéns pelo artigo! Eu o utilizo com local device mas testei a tempos com nfs e deu tudo certo.. Cláudio, você já usou a opção de network boot via IPXE?

  9. Altamiro diz:

    Novais, com esse artigo você acaba de salvar a minha vida! Agradeço a sua boa vontade em compartilhar essa informação preciosa de forma tão detalhada. Você foi muito feliz no achado!

    • Cláudio Novais diz:

      Muito obrigado pelas palavras Altamiro! :)

      Há muito tempo que queria fazer este artigo, mas ele como era extenso não dava muita motivação, sou sincero xD

  10. Esse Clonezilla é da Canonical? Para com o Ubuntu alternate, mesmas cores.

    • Cláudio Novais diz:

      A canonical não tem nada a ver com o Clonezilla! ;)

      Se têm as mesmas cores, ocorre porque ambos utilizam o mesmo sistema de boot em memória, que também foi desenvolvido não pela Canonical! Devemos ter em atenção que a CAnonical não criou o Linux, aliás mais de 70% dos pacotes que a Canonical tem nos repositórios vêm diretamente do Debian, sem alterar rigorosamente nada. E os 30% muitos deles são apenas pacotes gerados por eles, mas não programados pela Canonical! ;)

      • Cláudio Novais diz:

        AH faltou dizer, o Clonezilla é baseado em Debian, tal como o Ubuntu! Ou seja, o Debian é o pai deles e eles são como irmãos, o Ubuntu e o CLonezilla! :)

Deixe um comentario


Pesquisar


Publicidade

  • Forum Do Ubuntued
  • Ubuntu Dicas
  • Ubuntu-BR-SC
  • Tomates Podres
  • Servidores com Ubuntu desde 5$ do mês
  • Anuncie no Ubuntued!