Há alguns dias atrás, os usuários do Ubuntu foram expostos a uma polémica iniciada por Richard Stallman, criador das licenças GNU. Segundo Stallman, o Ubuntu carrega spyware, isto é, um software que coleta todas as informações feitas pelo usuário em seu computador e as manda para alguma entidade da Internet (definição de Spyware aqui). Ele referia-se às lentes da Amazon, disponíveis a partir do Ubuntu 12.10, já que ao digitar, você envia as informações para a Canonical que retransmite à Amazon.

Apesar de ser a favor da liberdade, não podemos criar obras derivadas do texto de Stallman (pela licença utilizada), e isto inclui nenhuma tradução do seu texto. Portanto este artigo não apresenta o discurso do Stallman, mas aborda o que lá é referido.

Não há, realmente, nenhum aviso prévio de que a coleta de informação irá ocorrer – o que pode ser caracterizado como spyware. Entretanto, ao abrir o Dash do Unity, há um botão escrito “Aviso legal” que diz o que é feito com os dados que você digita no Dash. E está disponível na localização: /usr/share/unity/6/searchingthedashlegalnotice.html – onde você pode conferir em seu computador.

Apesar de ser sem aviso, ao baixar e utilizar o sistema, você concorda com tudo o que o sistema oferece – inclusive repassar seus dados. Segundo a política do Dash da Canonical, ao utilizar a pesquisa do Unity, você concorda com:

  • a coleta e uso de tudo o que pesquisar no dash e seu endereço de IP ao utilizar a pesquisa; e
  • o armazenamento de suas pesquisas e endereço de IP pela Canonical e por terceiros (caso seja necessário).

Existem diversos métodos de não ter seus dados coletados e armazenados pela Canonical. O primeiro deles é desabilitar a pesquisa online do Unity, disponível no menu de Contas online e desabilitando o recurso de registro de atividades na guia de Privacidade. Entretanto, ao desabilitar esta funcionalidade, todas as ferramentas que precisam de conexão com a Internet no Dash do Unity serão desativadas (a lente do Gwibber, Picasa, Flickr, Ask Ubuntu, etc) ou o uso de alguma outra distribuição que não faz uso deste tipo de recurso, como o elementary ou o Linux Mint. Stallman também comentou que é possível que algum usuário faça um fork sem os elementos spyware da Canonical.

Em todo o caso não é necessário nada de extremismo tal como foi esta situação de Richard Stallman. Não gosta de ver seus dados a serem enviados para a Canonical? Simples, remova o pacote através do artigo seguinte:

No caso de você achar que deve manter esta funcionalidade ligada no seu computador para poder dar dinheiro à Canonical aquando de uma compra online feita por si, então recomendamos vivamente que veja o link abaixo. Neste artigo do link abaixo apresenta-se uma alternativa perfeita para quem quer contribuir para o Ubuntu, mas não quer perder a sua privacidade:

Entretanto, Jono Bacon, da Canonical, refuta tudo o que Stallman disse em seu post – ressaltando que é seu próprio ponto de vista e não o da empresa que trabalha – em uma nova entrada em seu blog pessoal. Para Bacon, todo o ponto de vista de Stallman pode ser resumido em uma única coisa: FUD (medo, incerteza e dúvida). Além disto, também pediu para não acreditar em especulações e sim em fatos – mostrando que, neste caso, estão abertos à discussão. Além disto, também mostrou que pretendem melhorar ainda mais o Unity, fazendo com que este seja uma central que, a partir de suas buscas, mostre tudo o que for relevante para o usuário – e não acabar com a privacidade deste. Bacon também fez questão de afirmar que:

Em oito anos da história de Ubuntu e Canonical, nós sempre colocamos a privacidade do usuário como o ponto principal em muitos websites, serviços e aplicativos que formam a plataforma e comunidade Ubuntu.

Sabemos que o Ubuntu é de graça e que a empresa mantenedora precisa de alguma forma de retorno financeiro. Mas como fazer isto? A forma utilizada foi a correta? Havia outro meio? Seria a lente alternativa viável?

Não há nenhuma conclusão final. Isto fica na mão dos usuários. O que você, leitor do Ubuntued, pensa disto? Pretende continuar utilizando o Unity? Mudará a sua distribuição ou apenas o ambiente de trabalho? Conte-nos qual sua posição quanto a este assunto.

 

Referências

64 Respostas ate agora.

  1. Robson diz:

    uso o ubuntu 12.04 e o Stallman está certo. era para a canonical informar isso na instalação: -Aceita que a canonical pegue informação e envie para a Amazon? Sim ou nâo. E não deixar automático. Se leigo, deixa passar, isso é spyware! Nós que somos usuários avançados sabemos
    /descobrimos essas "safadezas" (detesto Windows por causa disso, mas Linux é Aberto).

  2. Ubuntu é definitivamente o melhor O.S e isso não há como negar, tem um monte de gente chorando, chorando, chorando… estão chorando mas em torno dele. A Canonical não poderia acertar sempre em se tratando de satisfação dos usuários, porém acerta sempre ao se mover na direção dos lucros e seu marketing já atinge até os menos "Linux-informados"..

    Muitas vezes quando sugiro aos meus clientes um sistema alternativo ao da gigante, antes que eu conclua as apresentações das opções disponíveis alguns dos meus clientes já vão logo dizendo: Põe esse Ubuntu aí que já ouvi falar que ele é bom.

    Não adianta chorar galera, Ubuntu é o melhor e ponto.

    Das opções que costumo oferecer aos meus clientes: Ubuntu, Mageia, openSUSE, e para os que ainda estão com suas velhas carrocinhas Mageia LXDE.

    E outra coisa é muito simples remover o tal "Spyware".

    Vou de Ubuntu, e ponto.

  3. SamGyn diz:

    Ubuntu Gnome Remix é um sistema muito bom embora ainda não esteja lançado oficialmente como estável, não possui as tais lentes e é muito estável, se há uma versão do Ubuntu que poderá leva-lo de volta ao topo essa seria a versão.

    Estou usando ele em minha máquina de produção e estou achando muito bacana, é um sistema limpo que caminha no rumo que muitos gostariam que a canonical tivesse levado sua distribuição principal desde o começo.

    Instalei a Central de Programas do Ubuntu, Firefox, Libreoffice, Pidgin e Dropbox (já que o UbuntuOne não funcionou como eu gostaria.
    Removi Empathy , Gnumeric e Abiword.

    No mais acredito que Ubuntu Gnome Remix será em pouco tempo a queridinha pelos Ubuntu-usuários.

    Tentei conviver com o elementaryOS por uns dias mas não achei que valesse a pena.

    Continuarei sendo Ubuntu-usuário por muito tempo, mas minha versão sem dúvida nenhuma será a Gnome Remix.
    https://wiki.ubuntu.com/UbuntuGNOME/ReleaseNotes/

  4. Hudson diz:

    P.S. O texto do blog do Bacon está sob “All rights reserved”, ou seja: não pode nem mesmo ser reproduzido inalterado sem autorização. Segundo o raciocínio do autor do artigo acima, Bacon não poderia ser citado nem traduzido — pelo contrário, o texto do Stallman sempre teve sua reprodução autorizada.

    Na verdade, ambas citações poderiam ser feitas sem problemas.

  5. Hudson diz:

    Tem gente que esquece *PARA QUÊ* é importante software ser livre. Aí acaba engolindo qualquer porcaria como esse cavalo de tróia espião. Impressiona ver gente (com síndrome de Estocolmo) defender essa trapaça da Canonical. Ignomínia!

    • Cláudio Novais diz:

      Se não fosse a Canonical provavelmente ainda andávamos com sistemas semelhantes ao arch ou Debian. Portanto não devemos ser radicais.

      Ah e atenção eu sou dos utilizadores que mais critica publicamente certos aspetos da Canonical, basta estar atento ao forum do Ubuntued. No entanto, apesar de irritar-me inúmeras vezes com os produtos da “Canonitroll” sei ver que com eles o mundo linux aumentou drasticamente. Basta ver pelo excelente sistema que eles produziram chamado Launchpad. Só não vê quem não quer de quão prático é este sistema!

  6. Resolver esse problema era a coisa mais fácil do mundo. Todo marketing deveria ser deixado para um software apenas. O software center. O dash precisa ter desempenho exemplar porque ele é uma ferramenta de sistema e não uma aplicação como o software center para propagandas.

  7. Ronaldo diz:

    Bem…estou feliz usando o Elementary OS, muito melhor que o Ubuntu, rápido, simples, eficaz. O Ubuntu infelizmente, virou um apanhado de chatices vindas pelo Dash, que sinceramente não me agradam e afastam usuários, e conseguiram fazer o desempenho do Compiz ser horrível a partir dessas novas versões com este Shell.

    E sobre o tema, se fosse um questionamento contra a Microsoft, muitos usuários estariam aplaudindo e se dizendo livres, agora quando é contra uma derivação Linux, os usuários simplesmente mandam você remover tal coisa, se caso não gostar.

    Coerência é importante pessoal.

    • Rodolpho Carvalho diz:

      o elementary OS é muito bom mesmo!

      Que bom que está curtindo! ;) É uma ótima alternativa.

      • Marcelo Silva diz:

        Cansei de ver o FATAL ERROR no win7, testei o ElementaryOS e achei muito bom, vou migrar ainda hoje acabei de formatar meu pc instalei o windows pela ultima vez, estou baixando o Elementary pra instalar logo logo, mais aqui, esse spyware está presente no elementary? Alguém pode me dizer isso?

  8. Marco diz:

    Não existe distribuição Linux como o Ubuntu. Já testei o MInt, Debian, Fedora, Opensuse, Mageia, entre outros e nem de perto chegam perto do Ubuntu. Adoro o Unity, amo as lentes e não troco o Ubuntu por nenhuma distribuição Linux pois ele configura tudo que preciso, tem inúmeros sites para ajudar o usuário como o Ubunted, OMGUbuntu, UbuntuDicas,etc, e sempre tem novidades muitos boas. Ubuntu é opresente e o futuro do Linux, não é por acaso que inúmeros aplicativos que não rodavam no Linux estão sendo compilados para o Ubuntu. Ubuntu é melhor e ponto e que fiquem chateados aqueles que não reconhecem o Ubuntu como a maior distribuição Linux da atualidade. Viva o Linux, viva o UBUNTU.

  9. SamGyn diz:

    O problema não está somente com o Ubuntu que viola a privacidade do usuário mas o atraso tecnológico das outras distribuições acabam criando um fosso entre a liberdade e a eficiência na hora da escolha de uma distribuição.

    Mageia por exemplo fica difícil recomendá-lo a um Windows-Usuário pela dificuldade de instalar o MSOffice 2007 via Wine, fora isso é uma distribuição que caminha para próximo da perfeição.

    Fedora apresenta alguns problemas com placas de vídeo Nvidia.

    Mandriva, openSUSE, ROSA: A dificuldade de configurar o audio HDMI pela controladora Nvidia.

    Xubuntu, Lubuntu: Não configura o teclado multimídia direito.

    Alternativas mais viáveis a meu ver: Kubuntu, LinuxMint, distribuições Ubuntu-derivadas e se não houver a necessidade do MSOffice o Mageia é a escolha perfeita.

  10. Renan diz:

    Quando digitamos algo no Google e ele pega as informações e estamos fazendo algo que acho que ele tenha o direito de investigar para melhorar nosso uso, mas invadir nossa privacidade no Dash do Unity é exagero da Canonical, pois é lá que digitamos muitas coisas pessoais, e se são pessoais não são para ninguém ver.

  11. Liv diz:

    Sou usuária do Ubuntu, do google, do facebook, e muitos outros serviços que coletam dados e não vejo problema nisso. Hoje em dia qualquer site coleta dados e oferece produtos, e inclusive as vezes facilita a nossa vida que seja assim.
    Estou usando o ubuntu LTS que não tem a lente, e provavelmente vou desligá-la pois não faço compras na Amazon. Porém, se mais tarde o ubuntu criar lentes com sites nacionais, como livrarias, etc, usarei. Esses sites já coletam nossos dados quando entramos e compramos neles, então não vai mudar muita coisa e ao menos posso colaborar com a distro sempre que comprar algo.
    Todo mundo chia com a proposta da canonical, mas duvido que algum desses pagaria pelo software ou doa dinheiro para o seu desenvolvimento. Dizem que a canonical tinha "milhões de alternativas melhores" mas não apresentam nenhuma idéia lá no brainstorm do ubuntu.
    Tem gente que reclama mas não colabora nem clicando no botãozinho de reportar bug, confunde software livre com "oba, é de graça!" e não pensa no investimento de tempo, dinheiro e talento que o desenvolvimento do sistema exige.
    Projetos que dependem de doações tentem a passar por sérios problemas financeiros, quando não são cancelados. Tenho certeza que o ubuntu não chegou onde está apenas com doações da comunidade, mas com investimento maciço da canonical. Se a comunidade fosse suficiente, teríamos muitas distros concorrendo em popularidade e funcionalidade com o ubuntu, e não é o que vemos. As poucas distros populares e amigáveis, como Ubuntu, Fedora, ou Suse, são apoiadas por empresas.

    • Cláudio Novais diz:

      Liv, acredito que a Canonical já ganha muito. Eles querem é simplesmente ganhar mais ainda! ;)

      Sobre alternativas, elas existem e muitas! mas a Canonical nunca aceita! Já houve inúmeros patches para o Unity que nunca foram aceites por serem da comunidade. A lente da amazon alternativa vai ser outro exemplo da realidade que a Canonical se está a tornar, que nem eu sei bem caracterizar :\

  12. MGinity diz:

    Pensando um pouco: se o Stallman disse pra não recomendar o Ubuntu, é porque pode saber mais do que disse sobre um simples spyware… pode ser apenas um indício do que pode vir por frente (senão era só pedir pra evitar o Unity!). Não há outros motivos ou mudanças nesta história?

    Nota: abandonei o Ubuntu quando introduziram o Unity (nunca gostei e agora + 1 motivo pra não gostar…) e passei a usar o Mint com Cinnamon.

  13. UFA diz:

    Tchau Ubuntu… Viva Stallman!!!

    • Cláudio Novais diz:

      Olá UFA,

      Creio que não é preciso soluções tão drásticas. Acho que o Ubuntu ainda tem uma enorme vantagem para com a sua concorrência uma vez que a maioria dos programas que estão a ser desenvolvidos estão no Launchpad. Ora, o Launchpad tem uma integração perfeita no Ubuntu, o que é uma vantagem gigante.

      A solução, para quem não quer ser “acompanhado pela Canonical” é simplesmente remover o dito pacote. A solução é muito simples e é até referida no artigo! ;)

  14. Renato diz:

    A Canonical recebe recursos do Google e de outras empresas, pois já distribui seu sistema operacional em notebooks e desktops. Dizer que eles não tem de onde tirar o recurso… putz.
    Bom, não gosta do recurso, remova-o.
    OBS.: uso FEDORA.

  15. Di' stante diz:

    O que me incomoda é a queda de desempenho do Ubuntu nas duas últimas versões. As implementações (inclusive a lente da Amazon) não trouxeram melhoras significativas, muito pelo contrário. Estou usando o Xubuntu 12.04 com XFCE 4.10 e Thunar 1.6 e não sinto a menor saudade do Ubuntu. O Xubuntu é um sistema rápido, leve e com as últimas atualizações ficou melhor do que nunca. O Ubuntu segue o caminho inverso. É lamentável observar o retrocesso de uma distro pela qual nutro deveras apreço.

  16. Haystem diz:

    Dizer que é um spyware está errado, por outro lado os usuários também tem que estar ciente do que usam. A CANONICAL ultimamente acho que dá 2 passos a frente 3 de de volta,. Ela ao meu ver está priorizando acordos comerciais do que atender realmente ao que o usuário pede. Sei que é difícil manter algo sem apoio mas se você disponibiliza para as pessoas usar tem que atender primeiro os usuários. Ultimamente tenho percebido que há um abismo entre a Canonical e os usuários, resumindo está tendo um afastamento entre os mesmo.

    Mudar totalmente a interface acho exagero sendo que possui alternativas a este método.

  17. Orivaldir diz:

    Penso o seguinte:

    Se só há opiniões positivas sobre um assunto, não vejo com bons olhos o futuro disso. Tem que haver crítica pra ajudar a melhorar.

    Acho que deve haver captação de recursos pra ajudar a manter algo que chega ao usuário de graça, mas a que preço e de que forma? Privacidade é um assunto sério. Também acho que se um produto está sob uma licença que diz que deve ser de graça, então que o seja, inclusive sem quebrar o respeito à privacidade de quem o usa. Ou então, torne o sistema proprietário em cima de um kernel proprietário.

    Acho que o Richard está certo sim, ainda mais com a autoridade que tem no quesito "defender a liberdade digital". Acho que o Mark está certo sim em pedir ajuda, mas que o faça como as outras distros, ou que a comunidade se organize para tal.

    Passei muito tempo usando Ubuntu e suas derivações, dentre elas o Mint.
    Por questões de hardware não tive mais como ficar nela. Testei e usei bastante o Unity (12.04.1 LTS), mas precisei personalizar para se adequar ao que eu precisava de praticidade.

    Hoje estou no Fedora 17, mas sempre acompanhando o que se passa na distro que mantenho atenção e os votos de melhoras significativas ao usuário final.

  18. Jost diz:

    O que eu acho irônico é ver usuários reclamando dessas pesquisas no dash enquanto usam o Chrome, o Google, um celular com Android, Facebook… Estão tentando esconder o que da Canonical e da Amazon?

    • Cláudio Novais diz:

      Eu não só me queixo do problema da privacidade! Queixo-me também da lentidão que esta funcionalidade provoca!

      Sobre o Google rastrear o que fazemos, da minha parte pode fazer, mas não é através dos meios comuns! ;)

    • glaucopgomes diz:

      Pois é, a maioria das pessoas que estão reclamando do "problema" de privacidade são usuários do Chrome, do Gmail e do Facebook.

      • Sou usuário do chrome e quando não quero que me rastreiem apenas fecho o programa. O dash é integrado no sistema e você é obrigado a usá-lo. Felizmente existem vários shells baseados no gnome-shell como o Pantheon e outros.

    • Danielle diz:

      O problema é que o Chrome, Facebook e derivados não seguem a filosofia do Software Livre, como deveria ser o caso de uma distro GNU/Linux.

  19. Nestes tempos ligeiros e superficiais, como tudo vira passado tão rápido!
    O Sr. Stallman por exemplo, passou de herói a vilão em um passar de olhos.
    Polarizam muito suas opiniões , deveríamos escutá-lo , o planeta necessita de pessoas como o Stallman.

    Saudações a todos.

  20. Stallman está certo. Ele fala desde GNU puro e um defensor da liberdade absoluta e tem que falar o que pensa pois ele e uma entidade que vigia pela liberdade digital. Não devemos de ficar irritados e melhor compreender a crítica eu não uso o Dash mais uso algum programa comercial a pesar de não ser livre. E minha liberdade de escolha mais e bom ser informado de todas as alternativas. E isso devemos a pessoas como Richard Stallman.

    • HMMSF diz:

      Um defensor da liberdade que escreve seus textos em Copyright. Deixe me pegar umas palavras emprestadas:

      "Stallman não vai compilar drivers decentes para a placa de vídeo NVidia gratuitamente. Não vai pagar um designer de interfaces para deixar o LibreOffice com um visual mais moderno…

      Na hora de apontar o dedo, muita gente quer, mas na hora de colocar a mão no bolso, todo mundo recua."

      (Carlos Eduardo).

      • Hudson diz:

        Como se Stallman não tivesse feito várias e importantíssimas contribuições ao software livre em diversas áreas, inclusive como programador…

        Alguém aí já ouviu falar em Projeto GNU, Free Software Foundation, compilador GNU C, depurador GDB, editor GNU Emacs, texto da licença GNU GPL? Quem foi que criou tudo isso?

        Alguém já viu a lista de campanhas prioritárias para desenvolvimento de software da FSF? Quem foi que iniciou isso tudo, preside uma fundação que patrocina e apóia vários projetos e continua trabalhando por essas e outras causas?

      • Hudson diz:

        Tanto as legislações de “copyright” quanto as de “droit d’auteur”, das quais exemplos respectivos são a dos EUA e a do Brasil, contém LIMITAÇÕES que PERMITEM, SIM, citar e traduzir trechos do texto do Stallman. Nos EUA, tais citações enquadram-se em “fair use”, e no Brasil, em casos “das limitações ao direitos autorais”.

        Portanto, se o autor do presente artigo quisesse dar voz a Stallman, poderia ter citado o texto em que o criador do movimento pelo software livre expressa sua opinião.

        Além do mais, por sua própria natureza, artigos de opinião correm o risco de ser deturpados ou induzir a equívocos se forem totalmente liberadas “obras derivadas”. Esse é o argumento de Stallman para restringir modificações de artigos de opinião, permitindo previamente apenas cópias exatas. Também é o motivo pelo qual certos documentos do projeto GNU contêm “seções invariantes”, especialmente os textos de maior cunho político (i.e. que defendem o software livre).

  21. João Damasceno diz:

    Bem realmente tudo que aqui foi comentado é de fato motivo para que fiquemos ao menos apreensivos com os rumos que o Ubuntu adotará. O que vejo, e lamento ter essa visão, é que o Ubuntu caminha rumo a uma espécie de Windows "melhorzinho"… e inclusive, sem grandes poderes nas mãos do usuário final, coisa que caracteriza o universo "Software Livre". Agora, uma dúvida, se eu vou em "Privacidade" e desmarco tudo é "problema resolvido"?? ou não é bem assim? Poxa fiquei receoso com essa história de "verem" o que escrevo no meu micro.

  22. PIBID UEL diz:

    A Canonical decidiu perder alguns usuários conscientes em troca de milhares de outros win users acostumados com a pirataria e spywares.
    Felizmente os verdadeiros usuários de LInux não utilizam Unity.

    • Cláudio Novais diz:

      Por acaso tenho notado muito isso!

      No entanto, sobre o Unity, apesar de ser muito mal programado, eu gosto muito do conceito. Ao nível de funcionalidade eu gosto bastante, pena é ser pesado e agora conter este pequeno problema que se resolve bem com uma desinstalação! :D

      • Jadson diz:

        Bem, eu dei uma chance ao Gnome 3 e suas EXTENSÕES e realmente superou o unity… O design do Gnome também ficou melhor, etc.. gosto pessoal e profissional…

        A meu ver o Ubuntu fez vários avanços para o desktop linux, com um design novo e facilitando a usabilidade em muitos aspectos, mas não precisa levar pro lado comercial, bastava andar com as próprias pernas, e não pensar em "nadar em sinheiro, como a MS"…

        Por isso agora uso Debian, como é bom ter a estabilidade e velocidade novamente, e com uma interface linda do Gnome 3…

  23. Erick Major diz:

    Olá a todos! Eu utilizo o Ubuntu com o Gnome 3, e não vejo esse problema ocorrer, pelo menos por enquanto. Não há Dash, e portanto, não há como fazer pesquisas online como ocorre com o Ubuntu tradicional.
    Acredito que está sendo satisfatório para mim, justamente por ser (na minha opinião) mais leve e sem os problemas demonstrados pelo Stalman.
    Acredito que o Ubuntu tenha contribuído demais com toda a popularização do Linux, e concordo com a opinião do Cláudio.
    Acredito que a utilização de outros ambientes de trabalho nativamente (instalados junto com a distro) já resolva este problema.

    • Rodolpho Carvalho diz:

      Realmente, há o Xubuntu, Kubuntu, Lubuntu, Ubuntu Gnome Version… O Unity trás toda a experiência do Ubuntu, mas a questão de publicidade é um pouco irritante mesmo. Infelizmente, quem mantém o Ubuntu é uma empresa e ela quer lucro.

      Mas a ideia do Unity, de ser uma central totalmente integrada, é de fato interessante. Resta saber se isto vai dar certo no final das contas.

      • Cláudio Novais diz:

        O que tem de bom no Ubuntu é precisamente isto! Liberdade de escolha! Se não gostamos de alguma coisa no Ubuntu mudamos nele simplesmente! Não precisamos de abdicar do sistema por completo! Eu por exemplo não gosto desta funcionalidade, mas gosto do Ubuntu.

        Como o Ubuntu agora está super fácil, é muito fácil eu ter o Ubuntu que gosto sem esta funcionalidade que não me atrai nem um pouco! A liberdade de escolha é tão grande neste mundo OpenSource, que até soluções benéficas à Canonical (e não da sua autoria) existem:
        Unity: Lente alternativa da Amazon, mais leve.

  24. Lincoln de Macêdo diz:

    falando de maneira bem clara sobre a sensação que o usuário final tem (ao menos o que senti num primeiro momento): já não basta ter tanta publicidade pela internet, e agora quando se abre o Dash tem um monte de publicidade também! isto é bastante incomodo para quem não pretende comprar nada da Amazon (e futuramente de outras empresas)
    na questão de ser vigiado pelo Dash, é uma situação bem incomoda saber que tudo o que você escreve no Dash será usado para direcionar a publicidade que verá no Dash, ninguém gosta de se sentir vigiado (o google faz isso bem mais discretamente que a Canonical)

    gosto de liberdade, por isso também uso Linux, não consegui aceitar esta lente comercial ser obrigatória e ser dada como opção para não ver esta publicidade, desativar uma gama imensa de recursos do Dash; é uma questão de bom senso: a opção de ter ou não ter esta lente instalada (sabendo que tudo o que for digitado será usado para publicidade) deveria estar logo na instalação ou durante a abertura da 1ª sessão após instalar ou atualizar o Ubuntu.

    estou saindo do Ubuntu e indo para o Bodhi Linux, por vários motivos: a publicidade que só tende a aumentar, a interface padrão cada vez mais pesada, vir com vários aplicativos que não uso instalados e sem vários aplicativos que uso com frequência (apesar do Bodhi vir com poucos aplicativos, ao menos não ocupo o hd com aplicativos que não uso)

    • Cláudio Novais diz:

      Olá Lincoln,

      Sobre isto que você disse:

      gosto de liberdade, por isso também uso Linux, não consegui aceitar esta lente comercial ser obrigatória e ser dada como opção para não ver esta publicidade, desativar uma gama imensa de recursos do Dash; é uma questão de bom senso: a opção de ter ou não ter esta lente instalada (sabendo que tudo o que for digitado será usado para publicidade) deveria estar logo na instalação ou durante a abertura da 1ª sessão após instalar ou atualizar o Ubuntu.

      Acho que tem total razão! Sobre a decisão drástica, sinceramente não acho que seja necessário visto que a solução para por desinstalar um simples pacote tal como é referido no artigo ;)

    • salomão diz:

      Bom, não vejo tanta publicidade no ubuntu como o texto parece passar. De fato, pelo menos para mim, não me sinto incomodado com esta lente, senão não usaria google e os clientes de email e nem redes sociais, pois elas fazem tudo isso e um pouco mais. Cada um tem sua liberdade de escolha, claro, mais se for para expor motivos, pelo menos sejam razoáveis minha gente!
      …. ou vocês pensam que dá pra viver apenas de filosofia? Estamos na vida real… Soluções reais… Duvido muito que todos os que criticaram ou criticam as posições financeiras da canonical doaria algum centavo a ela algum dia, se fosse outra a situação…
      Com todo respeito claro

      • Cláudio Novais diz:

        Olá Salomão,

        A Canonical tinha muitas outras soluções para fazer tal angariação de fundos, ainda para mais com a comunidade super participativa que tem.

        Para além disso, acho muito bem que a Canonical tenha retornos financeiros, caso contrário provavelmente não trabalharia o suficiente. Mas deve ter em conta uma coisa: há soluções melhores. E outra coisa que não pode esquecer: a Canonical já ganha muito com contratos com a Google e provavelmente com o Firefox, já para não falar em muitas outras situações nomeadamente através do Ubuntu Server.

        Em suma, não estou a dizer para a Canonical não tentar monetizar mais, mas quero frisar acima de tudo que ela já ganha bastante dinheiro e não era necessário ter tomado uma medida tão intrusiva, até ao nível de performance.

  25. NetHell diz:

    Apesar de toda a polêmica, creio que todos os usuários estão bem acostumados a este tipo de ação ainda mais acompanhados de licenças de aqceite de uso ou concordância com alguma coisa inserida em navegadores, aplicações, etc. A maioria dos usuários instala SOs, Plugins, Add-ons e aṕlicativos sem sequer ler essas condições e as acata para minimizar o tempo de instalação.
    Acho que a implantação do Ubuntu teve um impacto significativo no mundo Linux, até leigos que nem usam um computador sabem de sua existência logo, este blá blá blá e insignificante perante isto.
    Em continuarei usando a distribuição sim, e continuarei a recomendá-la, realizar instalações e dar suporte.
    A solução para quem está contrariado com isto é simples e já foi divulgada, então acho que é hora de encerramos este assunto.
    Abraços a toda a comunidade, Ubuntu na veia.
    nethell

  26. Bem, se isso for algo apenas do Unity basta trocar de Ambiente de Trabalho. No meu caso, ainda não cheguei a ver isso já que utilizo a 12.04 LTS com o Cinnamon que ao meu ver é a que mais se adequa ao que eu quero… E sobre o termo Spyware, pelo menos é enviado à uma só empresa e ainda sabemos qual é rsrsrs – Mas assim, a Canonical precisa de uma grana pra se manter e acredito que não deveria ser na base dos dados dos usuários. Já temos o Google, o Facebook, o Mac e o Windows pra isso…
    Se o usuário não tá contente com isso, muda. Existe uma variação de OS Gnu/Linux e seria uma boa pra experimentar novas distros que honrem a liberdade de seus usuários. ;)

    • Cláudio Novais diz:

      a solução não precisa de ser tão drástica quanto trocar de ambiente. basta simplesmente remover a lente tal como é apresentado numa das Referências do artigo ;)

  27. Cláudio Novais diz:

    Na minha opinião todo este burburinho teria sido resolvido se a Canonical tivesse apresentado por exemplo a Lente alternativa mostrada no artigo ou então simplesmente apresentado uma notificação logo na primeira vez que se liga o ubuntu.

    Assim, o utilizador após a instalação estava ciente sobre o que estava a ocorrer e aceitaria ou não utilizar. Já agora acho que a atitude da Canonical de apresentar a opção da Privacidade para calar os utilizadores e ao mesmo tempo fazer uma opção que desliga meio Unity é outra atitudade desprezável.

    Sei que a Canonical apresenta-nos algo gratuito, mas ela já recebe muito dinheiro conosco, através de contratos com a Google por exemplo. Portanto ela já ganhava bastante dinheiro mesmo antes desta situação da Amazon. Se tivessem procurado outras alternativas tenho a certeza que ganhariam dinheiro também.

    Acho que o verdadeiro problema do Ubuntu atualmente é o fosso cada vez maior entre comunidade e empresa que o desenvolve. Tenho a certeza que a comunidade está disposta a contribuir monetariamente com a Canonical, por exemplo nas compras da Amazon e portanto acredito que a comunidade conseguisse arranjar boas soluções numa Brainstorm. Infelizmente não foi o que aconteceu e provavelmente a Canonical mais uma vez perdeu um conjunto bem grande de utilizadores experientes em Ubuntu.

    Para finalizar, sobre o facto da Stallman ter dito que não devíamos recomendar o ubuntu, bom, acho que isso é uma falta de respeito para com alguém que conseguiu mudar o mundo (ou que está a mudar o mundo) sobre o que o Linux é. No entanto, por outro lado, efetivamente ele tem razão, pois tenho a certeza que se a Canonical sentisse tal situação a ocorrer ela mudaria de certeza de atitude! O que seria benéfico para nós utilizadores do Ubuntu.

  28. muito útil… bastou circular na internet essa história mal interpretada e alguns winusers já começaram descer o pau no Linux, como se os problemas do RWindows fosse só spywares… muito bom artigo, vou posta-lo no grupo de linux que mantenho no facebook.

    • Rodolpho Carvalho diz:

      Realmente. Muita gente já começou a falar sem saber. Mas, ao utilizar o sistema, supõe-se que você concorda com o que ele vem, só por utilizá-lo.

      Mas creio que agora conseguimos entender um pouco o que houve, principalmente depois do que o Bacon falou.

Deixe uma resposta a Jost