O Ubuntued já apresentou os navegadores (em inglês browsers) Firefox e o Google Chrome. Desta vez, e aproveitando o facto de ter sido lançada uma nova versão, o Ubuntued apresenta o Opera. Este browser tem vindo a apresentar e a estabelecer novos padrões em termos de browser. Podem ser observadas as suas influências tanto no Firefox (na versão 4) e no Google Chrome, tais como a Speed Dial e toda a sua aparência. Algumas das funções obtidas através da instalação de extensões nos outros dois browsers concorrentes, já vêm instaladas de raiz no Opera. A sua personalização é muito fácil, dispondo o utilizador de uma grande panóplia de temas, extras e widgets. Tem ainda a vantagem de armazenar notas enquanto se navega, evitando o recurso a programas extra para registar esses apontamentos.

Instalação do Opera

Para proceder à instalação do Opera tem de descarregar primeiro o pacote no site da Opera. Assim que carregar a página deverá ter algo parecido com a imagem seguinte. Como tal, pressione no botão indicado.

Será redireccionado para outra página, onde deverá seleccionar a distribuição, o formato do pacote (no caso de Ubuntu, o default package é .deb), a localização e pressionar o botão indicado na imagem.

A transferência deverá arrancar automaticamente. No caso de possuir algum extra no Firefox (como foi o meu caso) que impeça o arranque, então ao surgir o seguinte ecrã, clique onde indica clique aqui.

De seguida verá uma janela do Firefox a perguntar o que quer fazer com o arquivo, aqui recomendo ao utilizador a seleccionar Gravar Ficheiro.

Pode, no entanto, optar por Abrir com e saltar o próximo passo. No caso de optar por gravar, terá de ir à directoria onde o ficheiro foi gravado e clicar duas vezes com a tecla esquerda do mouse ou então clicar nele com a direita e seleccionar a opção Abrir Com Centro de Software Ubuntu.

Aberto o Centro de Software Ubuntu, verá uma breve descrição do Opera e um botão para que se proceda à sua instalação, clique em Instalar.

Aguarde pela instalação do programa, pois este vem de origem externa, pelo que será possível que o Centro de Software pisque por alguns momentos.

Depois da instalação estar dada como concluída, o Centro de Software Ubuntu terá de actualizar a sua lista de aplicações, já que durante a instalação é adicionado um repositório que irá permitir a actualização do programa (tal como acontece com o Firefox, Chromium e Google Chrome).

Manuseando o Opera

Assim que o Centro de Software volte ao normal, poderá abrir o Opera acedendo a Aplicações→Internet→Opera.

De notar que na primeira vez que o Opera for executado, será apresentada a licença do programa, pelo que recomendo a sua leitura antes de proceder à continuação do acesso ao programa. Para continuar terá de pressionar o botão Concordo.

Assim que concordar com a licença, o Opera apresentará uma página a convidar o utilizador a conhecer esta fantástica ferramenta, incluindo as novidades que esta nova versão oferece. Recomendo vivamente que o faça, pois este é um browser que tem muito para oferecer e que merece sem sombra de dúvida a sua exploração, permitindo um conhecimento mais alargado e uma facilidade na sua interacção (tal como acontece em todos os browsers).

Fechando essa aba, poderá verificar que o Opera possui uma página designada por Speed Dial, que poderá personalizar através da adição de um fundo a seu gosto e a quantidade de atalhos disponíveis nesta página. Assim o utilizador deverá clicar no botão indicado na imagem que se segue.

Se preferir outra imagem para o fundo de ecrã da Speed Dial que não a original, em Imagem de fundo: pressione o botão Escolher….

Pode seguir a minha sugestão (principalmente se tem uma instalação recente do Sistema Operativo Ubuntu) e navegar para o seguinte caminho:

/usr/share/backgrounds/

Seleccione uma imagem nessa directoria para fundo da Speed Dial e clique em Abrir. Obs.: Na imagem que se segue sugiro que clique nela para a ver completa.

Depois de escolhida a imagem e especificada a aparência da Speed Dial, pressione em OK para visualizar as alterações.

Deverá ficar com um aspecto algo semelhante ao apresentado nesta imagem:

Outra característica do Opera é o bloqueio das abas (funcionalidade também presente no Google Chrome), isto permite evitar que o utilizador feche acidentalmente uma aba importante nessa sessão e também a libertação de espaço, permitindo um número maior de abas abertas em simultâneo. Para bloquear a aba, clique na mesma com a tecla direita do mouse e seleccione a opção Bloquear Separador (recomendo que veja o vídeo do artigo para ter noção da importância desta funcionalidade).

Esta acção resultará no seguinte:

Como pode confirmar, libertou bastante espaço na barra, ficando apenas visível o ícone do site presente nessa aba.

Agora que se tem um site aberto, pode adicioná-lo à sua lista de atalhos rápidos (Speed Dial) da seguinte forma: abra uma nova aba e pressione sobre um atalho livre com o botão esquerdo do mouse. Irá surgir uma pequena janela onde poderá escolher o site. Verá que o atalho começará a actualizar a sua miniatura assim que seleccionar o site.

Para fechar a janela pressione OK. Passando o mouse sobre o novo atalho poderá ver qual a tecla de atalho que lhe corresponde. Neste exemplo, como o atalho para o Ubuntued está na posição 4, ao pressionar [Ctrl]+[4] o Opera carrega a página do Ubuntued.

Actualizar o Opera

Para finalizar este tutorial do Opera, tal como foi mencionado em cima, aquando da instalação é adicionado um repositório oficial do programa, assim o utilizador não terá de o actualizar manualmente.

Dicas

Há muito para dizer sobre o Opera, o que desta forma tornaria este artigo extremamente longo, pelo que apenas apresentarei duas dicas que podem ser úteis a alguns utilizadores.

Na primeira dica apresenta-se a activação do auto-scroll (em português, deslizamento automático), para tal estando neste artigo, pressionem a tecla [Shift] juntamente com o botão do meio no mouse (que em alguns mouses será onde está a roda). Aparecerá uma janela onde activando a opção Iniciar panning, ficarão com a opção de deslizar na vertical no modo automático. Permitindo a deslocação na página de uma forma mais cómoda, sem ter de andar a pressionar nas setas do teclado nem a rolar a roda para cima/baixo. Bastará apenas pressionar e largar no botão do meio do mouse e deslocar o mouse para cima/baixo. Quando tiver chegado ao local pretendido da página, basta clicar com qualquer botão do mouse para desactivar o auto-scroll.

Na segunda dica apresentam-se os vários comandos semelhantes aos que existem no Firefox (por exemplo about:config) e no Chromium/Google Chrome (por exemplo about:version), para aceder a dados que normalmente estariam algo ocultos do utilizador ou exigia uma navegação algo complexa entre menus e janelas. Ao inserirem opera:, ao contrário dos browsers anteriormente indicados, o Opera apresenta uma lista dos comandos que podem ser acedidos pelo utilizador. Em todo o caso, recomendo alguma cautela, quando estiverem nessas páginas, serve apenas para utilizadores mais avançados.

Vídeo

Referências

Página Oficial do Opera
Informação sobre o auto-scroll no Opera

33 Respostas ate agora.

  1. Antonio Antunes diz:

    Não funciona no Ubuntu 11.10 beta 2. Obrigado

  2. [...] edições anteriores o Ubuntued apresentou aos seus leitores como instalar o Opera e como partilhar ficheiros através do Opera Unite onde foram reveladas algumas das funcionalidades [...]

  3. PStefani diz:

    Testei o Ópera e gostei muito, rápido e eficiente, ainda quero testar o Cromium, mas acredito que acabarei usando os dois! Parabéns pelo artigo, muito bom, o site é nota 10!!!

  4. Newton Sergio diz:

    Instalei o navegador Opera 11.11 no Ubuntu 11.04, esta melhor que FireFox, recomendo!

  5. [...] e-mail? Neste artigo o Ubuntued mostra-lhe como realizar essa partilha usando os mecanismos que o Opera possui. Sem esquecer os passos mais importantes a ter em conta para o uso desta [...]

  6. Júlio Hoffimann diz:

    Não uso o Opera porque assim como o Internet Explorer, é de código fechado. Vai contra os meus princípios.

    Sei que é ser um pouco radical, mas prefiro apoiar projetos que não correm o risco de serem um dia oferecidos em troca de dinheiro.

    Abraço e parabéns pelos ótimos posts!

    • Olá,

      Como já referi num comentário acima, o Opera já foi pago e (talvez) por isso tenha tido alguma dificuldade em estar lado a lado com os outros browsers. Talvez por isso é que optaram por libertar (em termos de custos apenas para a sua utilização, claro) o programa para que pudesse competir com os outros disponíveis: IE, Firefox entre outros browsers da Mozilla, o mais recente Google Chrome e até o Safari. Talvez até pelo mesmo receio que o Júlio Hoffimann apresenta, o Opera ainda não tenha mais utilizadores, sendo por isso um dos factores que leva aos programadores das páginas a ignorar este browser. Daí a razão por o Opera ainda ter alguns problemas com certas páginas…

      Abraço,
      Luís Cardoso

  7. Claudio diz:

    Só não consegui fazer ele funcionar no site do BB

  8. Alessandro diz:

    Esse Opera ta show.
    Gosto muito do visual do, mas esse atalho do tweeter atrapalha a leitura.
    Flw

  9. Guilherme diz:

    Eu nunca tinha usado o Opera e achei ele dá hora! Vou usa-lo a partir de agora como o meu browser preferencial.
    Gostei do artigo e ficou bacana.

  10. Excelente artigo. O Opera é o meu segundo navegador, pois não conto com o Chromium. O nº 1 é o Chrome. O Firefox não uso mais. O mais legal do Opera são seus aplicativos – Opera Unite. No final do ano passado escrevi um post sobre eles.

    Aplicativos úteis para o Opera Unite 11 http://www.prof-edigleyalexandre.com/2010/12/apli

    Abraço!

    • Luís C. diz:

      Olá @prof_edigley,

      Fazendo uso das suas palavras: «Fui mexendo, mexendo…descobrindo coisas legais e úteis.» e recomendando a todos os utilizadores, que decidirem instalar este browser, que o façam, pois o Opera tem muita coisa para oferecer aos seus utilizadores.
      Já agora, devo congratulá-lo pois tem um artigo bastante interessante revelando o potencial de uma das ferramentas do Opera, o Unite.

      Abraço,
      Luís Cardoso

  11. Gramathur diz:

    Excelente postagem, Luís Cardoso.

  12. Anderson diz:

    Realmente um ótimo artigo, não sei quanto em Portugal, mas aqui no Brasil, parece que as pessoas tem uma aversão ao Opera, só usam Firefox e Chrome, quando eles tem a opção de escolher um excelente navegador. Uma coisa interessante no Opera é que ele aumenta a velocidade de navegação de acordo com o teu computador, quanto melhor for, mais rápido ele será.

    • Luís C. diz:

      Olá Anderson,

      Não sei se foi pela razão que apresentei na resposta ao comentário do Ricardo V., mas em Portugal também se nota isso.
      Quanto à velocidade, sem dúvida que ele é rápido, eu por exemplo uso o Opera sem o Turbo activo porque tenho uma boa conexão à internet (apesar do vídeo estar a demorar um pouco a carregar as páginas, mas foi da hora em que fiz a gravação, a ligação estava um pouco lenta). Mas para quem tem uma ligação mais lenta, o Turbo pode ser uma mais valia, recomendo a sua colocação para Automático.

      Abraço,
      Luís Cardoso

  13. [...] This post was mentioned on Twitter by Homem Livre in Linux, Cláudio Novais. Cláudio Novais said: Instale o Opera no Ubuntu! http://goo.gl/fb/SKwsh [...]

  14. Cláudio Novais diz:

    Os meus parabéns por este excelentíssimo artigo! Sem dúvida, um artigo muito completo e apelativo.

    Realmente o Opera, um browser que nunca me foi apelativo, impressionou-me depois deste artigo. Tem funcionalidades muito importantes para quem passa o dia na Internet!

    Mais uma vez, Parabéns Luís! ;)

    Abraço

Deixe um comentario