elementaryOS-dockM

O Elementary OS ganha adeptos a cada dia que passa. A sua filosofia minimalista, perfecionista e acima de tudo leve, tem feito com que muitos utilizadores o experimentem e acabem por utilizar. De salientar apenas que o ElementaryOS é um Ubuntu modificado e portanto se você o instalar continua com um Ubuntu, mas com um visual e alguns programas diferentes.

Uma das diferenças do ElementaryOS está na gestão das janelas, na sua dock — a aplicação da parte inferior da tela que permite abrir e fechar janelas/programas. Ela chama-se Plank e é extremamente leve por fazer apenas uma coisa: Gestão de Janelas. Todavia, há muitos utilizadores que gostam de docks mais poderosas, que permitam adicionar temas, adicionar funcionalidades como a meteorologia, relógio entre muitos outros pormenores.

Assim, neste artigo explica-se como tirar a dock Plank do ElementaryOS e ainda se apresenta (e mostra-se como integrar) algumas das soluções mais conhecidas, nomeadamente a Avant Window Navigator (AWN), Docky e Cairo-Dock.

Aspecto do elementary OS inicial

Pré-requisitos

Antes de se poder alterar a dockPlank — no elementary OS Luna, por uma da sua preferência, terá de cumprir alguns requisitos. Primeiro terá de ter a dock de sua preferência instalada. Porquê? Porque as alterações serão imediatas, então é preciso garantir que esta se encontra na máquina, senão o Sistema Operativo tentará arrancar algo que ainda não está presente. Para o teste, foram usadas as seguintes docks: Avant Window Navigator (também apelidada de AWN), Docky e Cairo-Dock. Para instalar cada uma delas, execute o seguinte comando (ou pressione o botão, se preferir uma instalação gráfica):

  • Avant Window Navigator:

    sudo apt-get install avant-window-navigator

  • Docky:
    sudo apt-get install docky

  • Cairo-Dock: (De lembrar que esta possui duas possibilidades, com e sem OpenGL)
    sudo apt-get install cairo-dock

Depois de instalada a dock, é necessário instalar uma aplicação que gere algumas das definições do ambiente Gnome, nomeadamente esquemas de aplicações Gtk, esta dá pelo nome de dconf Editor. Para instalar execute o seguinte comando (ou pressione o botão, se preferir uma instalação gráfica):

sudo apt-get install dconf-tools

Alteração

Cumpridos os requisitos, o utilizador pode abrir o dconf Editor, podendo fazê-lo de duas formas, por terminal:

dconf-editor

Ou por via gráfica, pressionando o botão Aplicativos e procurando pela aplicação dconf Editor, tal como pode ver pela imagem.

02-dconf-editorM

Será apresentada uma janela e nesta terá de percorrer as seguintes opções: org → pantheon → cerbere → monitored-processes. Aqui verá que está uma lista de aplicações, que são consideradas como vitais, como aplicações que deverão correr por mais problemas que surjam. Porquê tanta ênfase? Porque já aconteceu o utilizador fazer algo (fechar uma aplicação, modificar algum aspecto, personalização mal sucedida), em que o utilizador ficava sem acesso ao painel, lista de aplicações… Resumindo, a solução seria algo menos intuitiva e envolvia algum conhecimento para o utilizador. Com isto, mesmo que um problema desses ocorra, o utilizador ficará novamente com acesso a estas aplicações (devido à filosofia aplicada), onde poderá desfazer o que tenha provocado esse problema.

03-dconf-editor-pathM

Aqui neste campo, verá que está presente a dockPlank — que o elementary OS Luna traz consigo, a qual teremos de substituir, porque está definida como aplicação vital. O simples facto de aqui constar, faz com que esta se torne “imortal“, por mais que a tentemos fechar, ela torna a abrir. Para contornar este problema, substitui-se onde se vê plank pelo nome da dock que prefere usar. Nas imagens que se seguem, substituiu-se por uma das seguintes: avant-window-navigator, cairo-dock ou docky.

04-docksM

Todavia, o utilizador pode apenas retirar o texto «‘plank’, », caso pretenda retirar a dock. Avisa-se os incautos, que tal acção irá remover a dock, que permitia a fácil gestão das aplicações, da lista de aplicações essenciais, não indicando portanto que esta vá fechar logo de seguida. Apenas indica que se esta for, por algum motivo, fechada, que o utilizador ficará sem uma dock para gerir facilmente as aplicações abertas ou lançar outras que estivessem anexadas.

No entanto, depois de substituir, verifica-se que o efeito é imediato, mas fica-se com um pequeno problema… Agora o utilizador vê-se com duas docks diferentes (como se pode observar na imagem)!

07-dock-problemM

Para resolver este problema, abra o terminal e cole o seguinte comando:

pkill plank

Como pode verificar na imagem, a dock que outrora acompanhara o ambiente do elementary OS Luna, deixou-se fechar sem criar qualquer tipo de problema.

08-plank-killM

Observação final

Agora que o utilizador pode usar a sua dock preferida, terá de a manusear através das ferramentas que esta disponibiliza, tornando inutilizável a aba que se mostra na figura:

09-configuration-warningM

Mexer nesses parâmetros apenas alteram o aspecto da Plank, mas como ela não estará aberta, o utilizador não verá qualquer tipo de alteração, por isso se lhe mexer por engano, não se preocupe, não lhe dará qualquer tipo de problema para o Sistema!

Importante

Tenha em atenção que devido a dependências mútuas entre o sistema visual e o Plank, apesar de você poder desligar o Plank através da explicação referida, você não o pode remover do sistema. Quer isto dizer que você poderá desligá-lo e nunca mais usar o plank (como se não o tivesse no computador), no entanto ele tem de estar instalado no sistema, apesar de não ser usado.

8 Respostas ate agora.

  1. Vinicius Lima diz:

    Incrível como a interface Pantheon é realmente muito leve. Fiz alguns testes entre a do Gnome, do Unity e a Pantheon e, mesmo com ainda alguns bugs (que relato para correção), pelo menos no meu note, a mais viável para uso é a Pantheon, sua fluidez é muito agradável além de ser uma interface muito bonita.

  2. João Damasceno diz:

    Eu usei o Elementary, testei, instalei pra valer, porém, nada feito e digo mais, não entendo o porque de tamanha euforia sobre esse SO. É lindo? onde? é "super leve", tudo bem, é sim… porém, é quanto mais leve que um Ubuntu? O que tenho acompanhado é que quando se fala de ElementaryOS parece que estamos comparando um Linux com o Windows Vista, ou seja, mesmo que a comparação seja entre o Elementary e o Ubuntu, o Mint, a interface KDE… etc etc… o que a meu ver é apenas uma empolgação boba, uma espécie de "esperança" de que ele não seja tão arrogante quanto o Ubuntu/Mark Shuttleworth.
    Obs. O mesmo ocorre com o Cinnamon… !

  3. Marco diz:

    Elementary OS Luna esta muito bugado, dificil demais de usar. Desisti de continuar usando algo que vire e mexe dá problema. Hoje estou com Debian Wheezy, isso sim é Linux de verdade, não apresenta um único bug, roda tudo rapidinho, é rápido e extremamente estável. Não adianta ter um ambiente gráfico bonito e ficar nisso, é preciso ser estável e o Elementary ainda está longe disso.

  4. Allison diz:

    Eu estou testando o Elementary e tenho uma crítica: Não existe opção de pesquisa de arquivos, como existem nos outros gerenciadores de arquivos.
    Pelo menos não achei após vários minutos de procura. hehehe

  5. Phillipe diz:

    Excelente, pois eu estava desistindo de usar o sistema por causa do plank, achei ele tosco e as cores dos programas abertos se confudem com os fechados. Muito tosco.

    Agora com o novo dock ficou bem melhor.

    Valeu.

Deixe um comentario